Estado de São Paulo Transparência ALESP
14/06/2017 15:55

Audiência debate denúncias contra a secretaria municipal da Cultura

Beatriz Correia - Foto: Raphael Montanaro


Download
Carlos Giannazi

Em audiência pública na sexta-feira (9/6), representantes de setores culturais da capital paulista oficializaram denúncias contra a secretaria municipal de Cultura. O deputado Carlos Giannazi, presidente do evento, levará as acusações à Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa para que sejam enviadas ao Ministério Público Estadual e ao Tribunal de Contas do Município.

No início do ano, o prefeito João Doria anunciou o congelamento de 43,5% da verba destinada à cultura da cidade. A Frente Única de Cultura (FUC) foi criada para lutar contra a decisão municipal, alegando que as medidas são prejudiciais para os trabalhadores do setor e para a preservação da cultura da cidade.

Carlos Giannazi defende o enfrentamento. "Estão desmontando o aparato cultural de São Paulo, agredindo as leis de fomento e acabando com os espaços culturais como oficinas e escolas", declara. O parlamentar afirma que ao levar a demanda para a Comissão de Educação e Cultura da Casa chamará o secretário municipal da Cultura, André Sturm, para prestar esclarecimentos.

O integrante da FUC, Aluísio Letra, acusa o secretário de racismo. Segundo Letra, o episódio ocorreu no dia 21/3, quando Sturm o impediu de participar de uma reunião pública sobre dança na secretaria da Cultura. Aluísio declara que todos os presentes sabiam e concordavam com a sua participação e que Lara Pinheiro, assessora de dança do órgão público, exigiu que ele se retirasse a pedido do secretário.

Aluísio caracteriza o ato como racismo porque, segundo ele, outra pessoa em condições iguais às suas e que era branca não recebeu o mesmo tratamento. No dia 29/5, em outra reunião na secretaria, André Sturm ameaçou o agente cultural Gustavo Soares dizendo: "Vou quebrar sua cara". Após o episódio, o secretário desculpou-se em nota.

Público