Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo Ficha informativa

DECRETO Nº 48.530, DE 09 DE MARÇO DE 2004

Artigo 1º - Ficam criadas na Diretoria de Ensino da Capital, da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da Grande São Paulo e nas Diretorias de Ensino do Interior, da Coordenadoria de Ensino do Interior, da Secretaria da Educação as seguintes escolas estaduais indígenas: I - na Diretoria de Ensino Região Sul 3, no Distrito de Parelheiros, a Escola Estadual Indígena Krukutu; II - na Diretoria de Ensino Região de Bauru, no Município de Avaí: a) a Escola Estadual Indígena Aldeia Kopenoti; b) a Escola Estadual Indígena Aldeia Nimuendaju; c) a Escola Estadual Indígena Aldeia Ekeruá; d) a Escola Estadual Indígena Aldeia Tereguá; III - na Diretoria de Ensino Região de Birigüi, no Município de Braúna, a Escola Estadual Indígena Índia Maria Rosa; IV - na Diretoria Ensino Região de Caraguatatuba, no Município de Ubatuba, a Escola Estadual Indígena Aldeia Renascer; V - na Diretoria de Ensino Região de Miracatu: a) no Município Iguape, a Escola Estadual Indígena Aldeia Paraíso; b) no Município Itariri: 1. a Escola Estadual Indígena Aldeia Capoeirão; 2. a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio do Azeite; VI - na Diretoria de Ensino Região de Registro, no Município de Cananéia: a) a Escola Estadual Indígena Aldeia Santa Cruz; b) a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio Branco II; VII - na Diretoria de Ensino Região de São Vicente: a) no Município de Itanhaém, a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio Branco; b) no Município de Peruíbe, a Escola Estadual Indígena Aldeia Bananal; VIII - na Diretoria de Ensino Região de Tupã, no Município de Arco-Íris, a Escola Estadual Indígena Índia Vanuíre. Artigo 2º - As denominações das escolas adiante identificadas ficam alteradas na seguinte conformidade: I - criadas pelo Decreto nº 45624, de 15 de janeiro de 2001, nas Diretorias de Ensino - Interior do Estado: a) Região de Registro: 1. de Escola Estadual Aldeia Pindoty para Escola Estadual Indígena Aldeia Pindo-ty, no Município de Pariquera-Açu; 2. de Escola Estadual Aldeia Peguao-ty para Escola Estadual Indígena Aldeia Peguao-ty, no Município de Sete Barras; b) Região de São Vicente: 1. de Escola Indígena Sol Nascente para Escola Estadual Indígena Kuaray o ê a/Sol Nascente, no Município de Mongaguá; 2. de Escola Estadual Aldeia Aguapeú para Escola Estadual Indígena Aldeia Aguapeú, no Município de Mongaguá; 3. de Escola Estadual Aldeia Piaçaguera para Escola Estadual Indígena Aldeia Piaçaguera, no Município de Peruíbe; II - criada pelo Decreto nº 45893, de 2 de julho de 2001, na Diretoria de Ensino - Capital/Região Norte 1, Distrito de Jaraguá, de Escola Estadual Djekupé Amba Arandy para Escola Estadual Indígena Djekupé Amba Arandy. Artigo 3º - A Secretaria da Educação adotará as providências necessárias visando a, mediante decreto, regulamentação da implantação das escolas estaduais indígenas, quanto a sua organização e funcionamento e definindo critérios para admissão e/ou designação de pessoal docente e técnico-administrativo

GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e à vista do disposto no Decreto nº 47.779, de 22 de abril de 2003,
Decreta:
Artigo 1º - Ficam criadas na Diretoria de Ensino da Capital, da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da Grande São Paulo e nas Diretorias de Ensino do Interior, da Coordenadoria de Ensino do Interior, da Secretaria da Educação as seguintes escolas estaduais indígenas:
I - na Diretoria de Ensino Região Sul 3, no Distrito de Parelheiros, a Escola Estadual Indígena Krukutu;
II - na Diretoria de Ensino Região de Bauru, no Município de Avaí:
a) a Escola Estadual Indígena Aldeia Kopenoti;
b) a Escola Estadual Indígena Aldeia Nimuendaju;
c) a Escola Estadual Indígena Aldeia Ekeruá;
d) a Escola Estadual Indígena Aldeia Tereguá;
III - na Diretoria de Ensino Região de Birigüi, no Município de Braúna, a Escola Estadual Indígena Índia Maria Rosa;
IV - na Diretoria Ensino Região de Caraguatatuba, no Município de Ubatuba, a Escola Estadual Indígena Aldeia Renascer;
V - na Diretoria de Ensino Região de Miracatu:
a) no Município Iguape, a Escola Estadual Indígena Aldeia Paraíso;
b) no Município Itariri:
1. a Escola Estadual Indígena Aldeia Capoeirão;
2. a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio do Azeite;
VI - na Diretoria de Ensino Região de Registro, no Município de Cananéia:
a) a Escola Estadual Indígena Aldeia Santa Cruz;
b) a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio Branco II;
VII - na Diretoria de Ensino Região de São Vicente:
a) no Município de Itanhaém, a Escola Estadual Indígena Aldeia Rio Branco;
b) no Município de Peruíbe, a Escola Estadual Indígena Aldeia Bananal;
VIII - na Diretoria de Ensino Região de Tupã, no Município de Arco-Íris, a Escola Estadual Indígena Índia Vanuíre.
Artigo 2º - As denominações das escolas adiante identificadas ficam alteradas na seguinte conformidade:
I - criadas pelo Decreto nº 45.624, de 15 de janeiro de 2001, nas Diretorias de Ensino - Interior do Estado:
a) Região de Registro:
1. de Escola Estadual Aldeia Pindoty para Escola Estadual Indígena Aldeia Pindo-ty, no Município de Pariquera-Açu;
2. de Escola Estadual Aldeia Peguao-ty para Escola Estadual Indígena Aldeia Peguao-ty, no Município de Sete Barras;
b) Região de São Vicente:
1. de Escola Indígena Sol Nascente para Escola Estadual Indígena Kuaray o ê a/Sol Nascente, no Município de Mongaguá;
2. de Escola Estadual Aldeia Aguapeú para Escola Estadual Indígena Aldeia Aguapeú, no Município de Mongaguá;
3. de Escola Estadual Aldeia Piaçaguera para Escola Estadual Indígena Aldeia Piaçaguera, no Município de Peruíbe;
II - criada pelo Decreto nº 45.893, de 2 de julho de 2001, na Diretoria de Ensino - Capital/Região Norte 1, Distrito de Jaraguá, de Escola Estadual Djekupé Amba Arandy para Escola Estadual Indígena Djekupé Amba Arandy.
Artigo 3º - A Secretaria da Educação adotará as providências necessárias visando a, mediante decreto, regulamentação da implantação das escolas estaduais indígenas, quanto a sua organização e funcionamento e definindo critérios para admissão e/ou designação de pessoal docente e técnico-administrativo.
Artigo 4º - O artigo 2º do Decreto nº 45.624, de 15 de janeiro de 2001, passa a vigorar com a seguinte redação:
"Artigo 2º - A Secretaria da Educação adotará as providências necessárias para o funcionamento da unidade escolar criada pela alínea "a", do inciso I, do artigo 1º deste decreto e designará o pessoal técnico - administrativo mínimo necessário para o funcionamento da mesma, segundo os critérios estabelecidos pelo Decreto nº 37.185, de 5 de agosto de 1993, com a redação dada pelos Decretos nº 38.981, de 1º de agosto de 1994 e nº 40.742, de 29 de março de 1996.". (NR)
Artigo 5º - As despesas decorrentes da execução deste decreto correrão à conta das dotações consignadas no orçamento da Secretaria da Educação.
Artigo 6º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 9 de fevereiro de 2004, ficando revogados:
I - o artigo 2º do Decreto nº 45.893, de 2 de julho de 2001;
II - o artigo 2º do Decreto nº 46.339, de 3 de dezembro de 2001.
Palácio dos Bandeirantes, 9 de março de 2004
GERALDO ALCKMIN
Gabriel Chalita
Secretário da Educação
Arnaldo Madeira
Secretário-Chefe da Casa Civil
Publicado na Casa Civil, aos 9 de março de 2004.