Gustavo Petta

Nascido em Campinas em 26 de dezembro de 1980, Gustavo Lemos Petta iniciou sua trajetória aos 16 anos, quando se elegeu presidente da União Campineira de Estudantes Secundaristas (UCES) e liderou a luta que resultou na conquista de 60% de desconto no transporte público para estudantes – um direito até hoje em vigor. No início dos anos 2000, quando cursava a faculdade de Jornalismo, presidiu o DCE da PUC-Campinas. Entre 2003 e 2007, Petta teve o que ele considera uma das suas mais importantes experiências de vida: ser presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) por dois mandatos consecutivos – feito inédito na história da entidade. Nesse período ajudou a formular, junto ao presidente Lula, o Programa Universidade para Todos (Prouni) – que incluiu mais de 1 milhão de jovens de baixa renda no ensino superior. Na sequência, exerceu por dois anos o cargo de secretário de Esportes e Lazer de Campinas – ocasião em que implantou ciclofaixas, trouxe de novo para a cidade os Jogos Universitários, viabilizou a montagem de uma equipe nacional de vôlei e deu início à construção do centro olímpico de alto rendimento. Em 2010, foi candidato a deputado federal, obtendo mais de 60 mil votos e ficando na sexta suplência. De fevereiro de 2014 a janeiro de 2015 assumiu o posto de deputado federal em Brasília e participou da aprovação de leis importantes, como o Marco Civil da Internet e o Plano Nacional de Educação, além de destinar mais de R$ 3 milhões em emendas parlamentares para o nosso município e região. Em 2012 foi eleito vereador em Campinas com 3.219 votos. Em 2016 foi reeleito com 4.211 votos. Entre as principais leis aprovadas pelo parlamentar do PCdoB estão a lei que garante o acesso gratuito a menores de 12 anos em eventos esportivos, a lei que proíbe homenagens a torturadores em ruas e prédios públicos e a lei que instaura o programa Cultura Viva Municipal. Nos primeiros quatro anos de atuação legislativa, Petta protocolou 40 projetos de lei, 345 requerimentos e 860 indicações. Em 7 de maio de 2018, Petta se licenciou do cargo para assumir cadeira na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, da qual era suplente.