87 anos da Revolução Constitucionalista


05/07/2019 16:54 | Comemoração | Fabio Donato

medalha da constituição<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236884.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Desfile em 1956<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236879.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Mausoléu em 1957<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236880.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Mapa de combates da Coluna Romão Gomes<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236881.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Livro A coluna Romão Gomes<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236882.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> medalha do cinquentenário<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236883.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> combatentes<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236885.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Cartão Postal MMDC (fonte: Wikipédia)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236877.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Considerada por muitos como a data mais importante da história do Estado de São Paulo, a Revolução Constitucionalista iniciada em 1932 completa 87 anos, no próximo dia 9 de julho.

Após a extinção do Congresso Nacional e das assembleias legislativas, comandada pelo ex-presidente Getúlio Vargas, os dois partidos que na época apoiaram a Revolução de 1930, o Partido Republicano Paulista e o Partido Democrático se uniram e formaram a Frente Única, com o objetivo de lutar contra a ditadura do governo provisório e criar uma nova Constituição.

Influenciados pelos estudantes Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, da conhecida sigla M.M.D.C., os paulistas foram convocados a diversas manifestações, sendo a maior delas na Praça da Sé, no dia 25 de janeiro de 1932, que levou cerca de 100 mil pessoas às ruas. As tropas de São Paulo e membros do Exército que apoiavam a revolução se viram sozinhos contra o restante do país, ajudados por um levante de voluntários que eram convocados através de uma organização civil com a mesma sigla.

O deputado Edmir Chedid (DEM) destacou a democracia e a liberdade como os principais motes da revolução travada pelo povo de São Paulo. "É importante destacar que 1932 foi o ano da luta pela liberdade e democracia; podemos considerar que foi o maior e mais importante movimento popular de caráter democrático já realizado em todo o país. Numa época em que o país era marcado pelo autoritarismo, o Estado de São Paulo simplesmente se destacou por defender a questão central desta revolução: a convocação de Assembleia Constituinte e, ainda, a realização de eleições livres".

Após três meses de combate e a situação do estado tornando-se insustentável, com a asfixia comercial e o cerco militar do governo federal acuando as tropas constitucionalistas, no dia 2 de outubro foi assinada na cidade de Cruzeiro, no Vale do Paraíba, a rendição dos paulistas, devolvendo a Força Pública do Estado para suas funções. A cidade recebeu o título honorífico de "Capital da Revolução Constitucionalista".

Apesar da derrota militar, a Revolução Constitucionalista é motivo de grande orgulho em São Paulo e os membros do ato em que "São Paulo enfrentou o Brasil sozinha" são constantemente lembrados. A Lei Estadual 9497/1997 institui o dia 9 de Julho como feriado estadual, sendo a data magna do Estado. Chedid, que estava na Casa no período de tramitação, reconhece o valor da lei. "O então governador Mario Covas reconheceu a importância do Projeto de Lei 710/1995 apresentado à Alesp que instituia o 9 de Julho como feriado civil no Estado; iniciativa que também apoiei à época por sua importância".

A deputada Edna Macedo (PRB) também estava na Casa em 1997, e considera a data um marco para o Estado. "Militarmente o estado perdeu, o ganho foi à promulgação da constituição que dava direitos iguais para toda a população brasileira. À época votamos o Projeto de Lei que ficou marcado o dia 9 de Julho da Revolução Constitucionalista de São Paulo.

Ficamos felizes em poder participar", concluiu.

Anualmente, neste dia, são realizados desfiles cívico-militares em todo o Estado, que preservam a memória dos combatentes e do Exército Constitucionalista.