Comissão de Direitos Humanos entrega Prêmio Santo Dias

Homenagem a personalidade ou entidade cuja atuação tenha se destacado na luta pelas liberdades e garantias civis
10/12/2010 21:30

Compartilhar:

A cerimônia acontece sempre em 10/12, em comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/12-2010/SANTODIAS3.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Prêmio Santo Dias é entregue em cerimônia <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/12-2010/SANTODIAS1.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Plenário Juscelino Kubitschek<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/12-2010/SANTODIAS2.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Nesta sexta-feira, 10/12, no plenário Juscelino Kubitschek, o desembargador Antonio Carlos Malheiros, a Associação dos Policiais Militares Portadores de Deficiência do Estado de São Paulo (APMPDESP), e Pedro Fukuyei Yamaguchi Teixeira (in memoriam) receberam o Prêmio Santo Dias dos Direitos Humanos.

Presidida pelo deputado José Candido (PT), a solenidade contou com a presença dos indicados e dos agraciados com a honraria. A cerimônia acontece sempre em 10/12, em comemoração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Todo ano, nesta data, a personalidade ou entidade cuja atuação tenha se destacado na defesa dos direitos humanos recebe a homenagem, e a escolha fica a cargo da Comissão de Direito Humanos. "Na maioria das vezes, apenas uma personalidade ou entidade é agraciada, mas neste ano ocorreu um fato inédito. A comissão, da qual sou presidente, aprovou por unanimidade a premiação de duas pessoas e uma instituição, que vão compartilhar a homenagem", declarou José Candido.

Os outros indicados foram a Associação da Parada Gay de São Paulo, Alberto Ferreira, coordenador do Grupo Afrodescendente Onda Verde, Jairo Salvador de Souza, defensor público na cidade de São José dos Campos, e os conselheiros tutelares Claudia Paixão, Alice da Conceição Crescêncio, Emanuel Giuseppe Gallo, Adão Barbosa e Silas de Oliveira, que tiveram seus mandatos cassados por denunciar adoções ilegais no município de Itaquaquecetuba.



Os homenageados



O desembargador Antonio Carlos Malheiros desenvolveu sua carreira profissional no sentido de promover os direitos humanos e a cidadania. A Associação dos Policiais Militares Portadores de Deficiência do Estado de São Paulo vem fazendo um trabalho de promover a dignidade dos policiais vítimas de violência. Pedro Fukuyei Yamaguchi Teixeira , formado em Direito, tornou-se missionário leigo no extremo noroeste da Amazônia para utilizar seus conhecimentos jurídicos em favor dos povos indígenas da região. Morreu em 2010, arrastado pela correnteza do Rio Negro, aos 27 anos. O prêmio foi recebido por seu pai, o deputado federal reeleito Paulo Teixeira

O prêmio, que leva o nome do operário metalúrgico Santo Dias da Silva, assassinado por um policial militar durante greve na zona sul da capital, em outubro de 1979, foi criado em 1996 pela Resolução 779/1996, aprovada pelos deputados paulistas a partir do Projeto de Resolução 33/1996, apresentado à Assembleia Legislativa pelo ex-deputado Renato Simões (PT). Desde sua criação, foram premiados: dom Paulo Evaristo Arns (1997), Pastoral Carcerária (1998), Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua e o jurista Hélio Bicudo (1999), Irmã Dolores e a Comissão de Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos (2000), União das Mulheres de São Paulo e Revista Sem Fronteiras (2001), Fórum Permanente dos Ex-presos e Perseguidos Políticos (2002), Grupo de Teatro União e Olho Vivo e Waldemar Tebaldi (2003), Ana Maria Dias (2004), Movimento pela Defensoria Pública e a advogada Valdênia Paulino (2005), a teóloga Heidi Ann Cerneka e a pedagoga Josephina Bacariça (2007), a Associação dos Deficientes Visuais de Ribeirão Preto (2007), Padre Ticão (2008), e Irmã Lucina (2009). Estiveram presentes vários representantes de entidades em defesa dos direitos humanos.