Veto à Feira Nacional da Reforma Agrária


17/04/2019 13:37 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Enio Tatto


Em pronunciamento realizado na terça-feira (16/4), na Assembleia Legislativa, o 1º secretário, deputado Enio Tatto, criticou o governador do estado, que vetou a realização da Feira Nacional da Reforma Agrária, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no Parque da Água Branca.

Segundo o parlamentar, "essa seria a 5º edição da feira. Nos outros anos, 230 mil pessoas compareceram ao evento que comercializa, por edição, 420 toneladas de mais de 1,2 mil produtos saudáveis, sem agrotóxicos".

"Quais seriam as motivações do governador?", questionou Tatto, que concluiu que só podem ser ideológicas, "uma vez que João Doria procura criminalizar o MST".

"Essa proibição é para evitar que a população conheça os resultados de um movimento que congrega pequenos produtores em um país em que eles são os responsáveis por 80 por cento da produção voltada ao consumo doméstico e é o maior produtor de arroz orgânico da América Latina", acrescentou o deputado.

"Doria não quis negociar, mas resta uma esperança", observou Tatto, "pois houve um adiamento da feira para agosto. Até lá o governador terá tempo para reconsiderar sua decisão".