Novas frentes parlamentares criadas em outubro debatem a ampliação do Proerd e a defesa dos movimentos sociais

Grupos foram criados com autorização do presidente da Alesp, deputado Carlão Pignatari
18/10/2021 14:48 | Social | Natália Belo

Compartilhar:

Plenário Juscelino Kubitschek<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-10-2021/fg276263.jpeg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Criadas na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo dia 6/10, duas novas frentes parlamentares procuram debater questões como a ampliação do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) e o movimento social junto à liberdade democrática. As frentes foram aprovadas pelo presidente da Casa, deputado Carlão Pignatari. No momento a Alesp conta com 159 frentes parlamentares em andamento.

A Frente Parlamentar para Promoção e Ampliação do Proerd é coordenada pelo deputado Gil Diniz (sem partido), e composta por 19 membros. O tema pretende discutir a expansão do programa no Estado de São Paulo.

O Proerd oferece um curso de quatro meses, ministrado por policiais militares voluntários e capacitados pedagogicamente, com foco na prevenção ao uso de drogas, e ensinando como os estudantes podem se manter longe de más companhias, a evitar a violência, a resistir às pressões diretas ou indiretas e a sempre acionar os pais ou responsáveis quando necessário. O programa tamém conta com a parceria dos pais, professores, estudantes e comunidades.

O parlamentar Gil Diniz falou o objetivo da frente e como querem conquistar a ampliação do programa. "Queremos ampliar esse programa, trazer investimentos, via emendas parlamentares dos deputados estaduais emendas parlamentares dos deputados federais e senadores pelo Estado de São Paulo, conversar com a secretaria de segurança pública e a secretaria de educação, e reforçar este programa extremamente importante e impactante", disse.

O deputado ainda concluiu que quer "fortalecer esse programa para que ele consiga chegar no aluno, na sala de aula, principalmente nas regiões mais pobres do Estado de São Paulo, nas periferias, onde os jovens sentem mais a questão das drogas e da violência, então estou tentando reunir mais emendas parlamentares, para ampliar esse programa que vem impactando a vida de milhares de crianças e jovens".

Já a Frente Parlamentar em Defesa dos Movimentos Sociais e das Liberdades Democráticas tem 20 parlamentares e é coordenada pelo deputado Raul Marcelo (PSOL). A partir do diagnóstico da atual situação do país, em período de crise social, que surgiu a frente parlamentar, para a defesa dos movimentos sociais e garantir a população de reivindicarem seus direitos.

O deputado coordenador reforçou a finalidade da frente parlamentar e a situação atual do Brasil. "A ideia da frente parlamentar surgiu do importante diagnóstico, que é a situação que o Brasil vive no momento, nós estamos atravessando um período de profunda crise social, hoje no país são cerca de 20 milhões de brasileiros passando fome. Então num cenário como esse é claro que a população vai lutar para mudar essa situação e reivindicar seus direitos, para garantir que não tenha nenhum a menos, e assim teremos muita mobilização social acontecendo no Brasil", disse.