Dia Mundial de Combate à Tuberculose ressalta a importância da vacinação e do tratamento da doença


23/03/2021 20:00 | Conscientização | Leonardo Ferreira

Compartilhar:

Imagem ilustrativa (fonte: Freepik)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-03-2021/fg263410.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Criado em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em referência aos 100 anos da descoberta, pelo bacteriologista alemão Robert Koch, do bacilo responsável por causar a tuberculose, o dia 24 de março marca uma ocasião de mobilização contra a enfermidade.

A doença é considerada uma das mais antigas da humanidade e existem evidências da enfermidade em ossos humanos pré-históricos, com cerca de 8.000 anos Antes de Cristo (AC).

De acordo dados levantados pelo Ministério da Saúde, somente no ano de 2019 foram registrados 18.132 casos de tuberculose no Estado de São Paulo.

A doença

Tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria e transmissão via oral. A patologia acomete os pulmões, mas também pode afetar outras partes do corpo, como rins, ossos e as membranas que envolvem o cérebro chamadas meninges.

Entre os principais sintomas estão perda de peso acentuada, tosse com mais de três semanas, cansaço excessivo, perda de apetite, Suor noturno, falta de apetite, rouquidão, porém, alguns infectados pela doença podem passar meses sem perceberem os sintomas ou confundi-los com sintomas gripais, podendo assim ao falar, tossir ou espirrar expelir pequenas gotículas que ao serem absorvidas por outro individuo têm potencial de transmitir a doença.

A tuberculose em estágios avançados gera complicações maiores além de complicações pulmonares e pode levar a uma infecção generalizada com alto risco de mortalidade.

Prevenção, diagnóstico e tratamento

A modo de prevenir a forma mais grave da doença, é aplicar em crianças menores de um ano, a vacina BCG, que é obrigatória no país. É importante também descobrir de forma precoce pacientes acometidos pela doença, para que estes não a transmitam.

O diagnóstico da patologia pode ser realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de diversas maneiras, seja através de exames bacteriológicos ou exames de imagem como radiografia do tórax.

O tratamento da doença é lento, e consiste na administração de antibióticos por um período de seis a nove meses e mesmo que o paciente apresente melhora logo no começo, é de suma importância manter a droga até o final. É comum o abandono durante o tratamento, e isso faz com que a tuberculose ainda cause mortes no Brasil.

Projeto

Com o objetivo de conter a disseminação da doença, tramita no Legislativo paulista, o Projeto de Lei 1.173/2019, da deputada Carla Morando (PSDB), que torna obrigatório o afastamento de crianças com doenças contagiosas da escola, pelo período que estiverem enfermas.

"O ambiente escolar é um lugar de extrema importância para o desenvolvimento e para a educação das crianças e adolescentes, mas é inegável que esse ambiente também é propício para a propagação de doenças infectocontagiosas", justificou.

A proposta está em tramitação na Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento e se aprovada poderá ser levada para votação em Plenário.