Aplicativo do governo federal auxilia no combate ao Aedes aegypti


23/11/2018 11:13 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Edmir Chedid

Compartilhar:

Mosquito Aedes aegypti<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-11-2018/fg227880.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Os serviços municipais, estaduais e federais de Vigilância Epidemiológica já realizaram mais de 300 mil vistorias em prédios públicos a partir das denúncias registradas pelo Sigelu Combate Aedes, segundo o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado Edmir Chedid.

De acordo com o parlamentar, o aplicativo foi desenvolvido pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, em parceria com o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (Coppe) e o Lemobs, ambos vinculadas à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

"Essa ferramenta do governo federal, que conta com as denúncias dos próprios servidores, já identificou mais de oito mil focos do Aedes aegypti, mosquito responsável por transmitir a dengue, a chikungunya e a zika, doenças que podem gerar outras enfermidades graves, como microcefalia e Guillain-Barré", disse.

Somente no Estado de São Paulo, foram realizadas 207.592 vistorias a partir da utilização do aplicativo. Esse trabalho resultou na constatação de 5.532 focos e no treinamento de 9.935 pessoas. No Distrito Federal, foram encontrados 1.589 focos do mosquito a partir de 76.964 vistorias realizadas por serviços públicos.

"É importante que todos os servidores participem dessa iniciativa para ajudar os serviços no combate ao mosquito. O aplicativo é bastante simples e intuitivo", afirmou Edmir Chedid.