Iniciativa reduz o tempo de espera para início do tratamento contra o câncer de mama

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
24/11/2021 17:03 | Atividade Parlamentar | Da assessoria da deputada Patricia Bezerra

Compartilhar:

Câncer de mama<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-11-2021/fg278891.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

O Programa de Navegação de Paciente (PNP) para portadores de neoplasia maligna de mama tem como objetivo facilitar e oferecer rapidez tanto no diagnóstico quanto no tratamento do câncer de mama.

E detalhe: Tudo em um só lugar! Isso porque o PNP vai oferecer o cuidado ao paciente desde o processo de diagnóstico até o início do tratamento em centros de referência oncológicos.

A deputada Patricia Bezerra lembra que quem já enfrentou um câncer de mama ou conhece quem está nessa batalha sabe das dificuldades. Por isso, é importante haver esse acompanhamento integrado.

"E foi justamente pensando nisso que apresentamos o Projeto de Lei 703/2021 que cria o Programa de Navegação de Paciente portadores de neoplasia maligna de mama, no âmbito do estado de São Paulo", diz a deputada Patricia Bezerra.

As principais finalidades do Programa são: acompanhar o paciente desde o diagnóstico e ao longo de todo o tratamento, integrar terapia medicamentosa entre as equipes de saúde para ações resolutivas, reduzir barreiras impostas a pacientes e familiares, em situação de vulnerabilidade, e diminuir custos dos recursos usados.

Saiba mais

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no mundo. No Brasil, é o mais incidente em mulheres de todas as regiões, atrás do câncer de pele não melanoma. Em 2021, estima-se que ocorrerão 66.280 casos novos da doença.

Vale destacar que 40% dos casos de câncer de mama são diagnosticados e tratados em hospitais públicos oncológicos das grandes cidades. E a principal causa da grande proporção de ocorrências avançadas é o longo tempo de espera para o diagnóstico dos nódulos palpáveis e início do tratamento.

Neste período há progressão de tumores em estágios iniciais para avançados e consequente aumento de mortalidade. Tais evidências mostram claramente que antes de se implementar um programa de rastreamento deve-se agilizar a elucidação diagnóstica dos nódulos palpáveis com tratamento imediato para o câncer, impedindo a progressão para estágios avançados.