Assembleia entrega Prêmio Beth Lobo de Direitos Humanos


28/06/2012 21:20 | Da Redação: Mariza Paulicek fotos: Maurício de Souza

Compartilhar:

Adriano Diogo(centro) e convidados<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115909.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Amelinha<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115910.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Analu Faria<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115911.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Dulce Muniz<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115912.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Laura Petit<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115913.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Auditório<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115907.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Auditório e<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2012/fg115908.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Foi realizada nesta quinta-feira, 28/6, sob presidência do deputado Adriano Diogo (PT), a cerimônia de entrega do Prêmio Beth Lobo de Diretos Humanos. O prêmio é de iniciativa de Adriano Diogo e tem por objetivo reconhecer o trabalho daqueles que lutam pela defesa dos direitos humanos das mulheres e da não violência contra as mulheres.

Em sua primeira premiação foram escolhidas duas homenagens póstumas: à socióloga Elisabeth Lobo, falecida em 1991, e à militante do PCdoB Maria Lúcia Petit, morta no Araguaia em 1972.

Adriano Diogo convidou para compor a mesa Amélia Teles, da União das Mulheres de São Paulo; Nalu Faria, da Marcha Mundial das Mulheres; Dulce Muniz, atriz que participou, sob o governo Médici, do Partido Operário Revolucionário Trotskista; Ângela Merlino esposa do jornalista e militante do Partido Operário Comunista Luiz Eduardo da Rocha Merlino; Laura Petit, irmã da homenageada, e Elza Rezk esposa de Antonio Rezk, militante contra a ditadura militar e deputado em 1978 pelo PMDB.



Beth Lobo



Dulce Muniz leu a biografia da socióloga Beth Lobo, ressaltando seu trabalho dedicado ao ensino e à pesquisa no que se refere às diferenças da sociedade quanto ao trabalho de homens e mulheres. Pertence a Beth Lobo a afirmativa de que "o sexo é, antes de mais nada, político". Teve morte prematura em 1991, aos 47 anos.

Em seguida, Nalu Faria, ao receber o Prêmio Beth Lobo, discursou sobre a personalidade de Beth ressaltando as características da simplicidade, o compromisso com a melhoria de vida da mulher e com a militância por um Brasil melhor. Disse esperar "que esse prêmio cresça e seja cada vez mais significativo".

Antes da homenagem póstuma a Maria Lúcia Petit, foi apresentado videodocumentário sobre a guerrilha do Araguaia e sobre a morte da militante, que, segundo testemunhas, foi fuzilada por tropas do Exército sob o comando do general Antonio Bandeira, da 3º Brigada de Infantaria.

Até 1996 era considerada desaparecida, quando foi localizada sua ossada. Laura Petit, ao receber o prêmio em homenagem à irmã, disse que é impossível imaginar a falta que faz, na vida das pessoas, quando familiares estão desaparecidos e não se consegue nem enterrá-los. Os restos mortais de Maria Lúcia Petit foram encontrados, entretanto, Laura disse que ainda estão desaparecidos os restos mortais de seus dois irmãos, Jaime e Lúcio Petit, que também estavam no Araguaia. "O Estado faz muito pouco para localizar os desaparecidos, temos o direito de saber a verdade. E que os criminosos sejam obrigados a pagar, como reza a justiça"



Homenagem às jornalistas



As jornalistas Laura Capriglione e Marlene Bergamo da Folha de São Paulo, Lúcia Rodrigues, da rádio Brasil Atual, Fernanda Soares, do Sindicato dos Jornalistas do Vale do Paraíba, e Conceição Lemes do www.viomundo.com.br, foram homenageadas pelas reportagens que fizeram sobre a violenta desocupação do bairro Pinheirinho, realizada pela Policia Militar de São Paulo e a Guarda Civil Metropolitana de São Jose dos Campos. Reportagens de autoria dessas jornalistas foram exibidas ao público.