Aprovado projeto que dá suporte a policiais vítimas de violência em serviço

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa de São Paulo.
28/09/2020 15:21 | Atividade Parlamentar | Da assessoria da deputada Monica da Bancada Ativista

Compartilhar:

Monica da Bancada Ativista (3ª à esq.) (imagem de arquivo)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-09-2020/fg255184.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

O Projeto de Lei nº 1051/2019, de autoria da Bancada Ativista, foi aprovado na quinta-feira (24/09) na Assembleia Legislativa e prevê assistência psicológica e proteção a policiais vítimas de violência em serviço.

Segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o número de policiais que cometem suicídio é maior do que aqueles que morrem em serviço vítimas da violência. São 23,9 a cada 100 mil habitantes, enquanto no total da população é de 5,8.

"É muito significativo que o projeto tenha sido aprovado em meio ao Setembro Amarelo, quando se discute a saúde mental das pessoas", analisa a deputada Monica da Bancada Ativista.

"Reduzir a violência e construir uma polícia que preze pela vida e por direitos passa por incorporar no cotidiano desses trabalhadores assistência à saúde mental", complementa

O Projeto de Lei prevê que policiais e familiares que tenham passado por situações de violência deverão receber tratamento médico, assistência psicológica e terapêutica.

Ao estabelecer a criação de programas para redução dos índices de violência, com metas e prazos, o PL 1051 aponta um caminho para a sociedade avançar na redução de letalidade policial que atinge a juventude preta, pobre e periférica.