Armas contra a Pedofilia

OPINIÃO - Afanasio Jazadji*
11/02/2005 16:57


Passado o Carnaval, e com o fim das férias de verão - em que as cidades de praia brasileiras foram intensamente procuradas por turistas internos e de outros países - , insisto em alertar a opinião pública contra um dos grandes males dos centros turísticos nacionais: a prostituição infantil. Em determinadas cidades do litoral, meninas de aproximadamente 13 anos continuam se oferecendo para relações sexuais em troca de algumas dezenas de reais.

Até agências de viagens que promovem a vinda de turistas europeus oferecem pacotes de serviços e roteiros em que estão incluídas fotos de crianças com as quais poderão passar a noite. De modo hipócrita, o governo federal anuncia nova campanha contra esse nefasto crime, mas nada faz para impor regras drásticas aos governos estaduais, às prefeituras e às empresas que se beneficiam com o insólito turismo sexual.

Existe omissão e até cumplicidade na posição das autoridades, que nada fazem para barrar o comércio de meninas levadas à prostituição. Há quem diga que a lei protege os "fregueses" que se relacionam com as crianças. No entanto, há exemplos na Europa e na Ásia que podem ser aplicados no Brasil, é só o governo federal agir. Basta a polícia levantar os nomes dos turistas que se envolvem com crianças e depois enviar cartas com envelopes vermelhos para suas casas e seus locais de trabalho. Nos envelopes deve aparecer com letras grandes, no idioma do turista, uma simples informação: a de que ele é cliente de uma rede de pedofilia. É um castigo merecido.



*Afanasio Jazadji é advogado, jornalista e deputado estadual pelo PFL.