Acervo Artístico

Entre a realidade e o sonho, Boner cria obras de um profundo lirismo acadêmico
20/07/2004 15:55

 <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/Ronaldo Bonner Jr.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>  <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/r bonner preto velho.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>  <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/r bonner velho porao.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Emanuel von Lauenstein Massarani

Em certos ambientes artísticos pode parecer que Boner vive e pinta numa dimensão em polêmica com o seu tempo. Em verdade, alheio a todo modismo, esse jovem pintor cultiva um mundo pictórico honesto e limpo como sua própria natureza humana lhe dita.

Correto no traço, livre na pesquisa tonal, sem cair em narrações de gênero, e longe do descritivismo holográfico, seus personagens e suas naturezas mortas possuem uma excelente dinâmica "emoção-gesto" no amplo respiro de horizontes sem fronteiras. As massas luminosas envolvem a estrutura arquitetônica para se identificar a uma palheta quente e sensual.

Entretanto, é na figura humana que Boner pontualiza os caracteres expressivos na serenidade dos sentidos e de sua linha poética. Mais expressiva é a figura, mais densos resultam os valores plásticos e de conteúdo que emergem de uma amadurecida quanto linear experiência pictórica.

Seus quadros revelam limpidez, sensibilidade, conceito formal, tons modulados e às vezes acesos. No caminho destas características se origina e desenvolve a sua escolha técnica, estética e emotiva, escolha essa que se direciona a uma renovação da própria arte "acadêmica", no âmbito da matéria pictórica e, portanto, longe a todo e qualquer conformismo de ruptura.

Mediante sua educação estética uma instintiva predileção, o artista constrói sua pintura entre a realidade e o sonho, mas com muita fantasia. E o resultado são obras de um profundo lirismo nos quais conta uma historia que é de todo tempo e cada vez nova e imutável.

Vale salientar que, para Boner, os temas que escolhe são estimulantes e causam uma tempestade de sentimentos. Em "Preto Velho" e "No velho porão...", obras doadas ao Acervo Artístico do Palácio 9 de Julho, são evidentes os elementos de uma tradição figurativa plena de segurança.



O Artista

Boner, pseudônimo artístico de Ronaldo Boner Junior, nasceu em Araraquara em 1974. Aos seis anos de idade fez sua primeira pintura a óleo e aos dez anos teve seus primeiros ensinamentos artísticos com a professora Rosangela Baccarin (1984). Estudou pintura ainda com os professores Alexandre Fausto (1985), Luiz Cláudio Morgili (1996) Luciano Regoli, na Itália (2000), Gilberto Geraldo (2000 e 2001). Foi Júri no Mapa Cultural Paulista em Matão, Jaboticabal (1998), Bebedouro e nos Salões de Olímpia (1999), Salão Almeida Jr em Piracicaba (2002). Desde 1994 ministra cursos de pintura e workshops.

Participou das seguintes exposições: Biblioteca Municipal Mario de Andrade, Araraquara (1985); V Salão Jauense de Artes Plásticas (1988); Casa da Cultura de Araraquara "Homenagem ao dia do Artista Plástico" (1989); VIII Exposição de Artes de Araraquara (1989); Salão de Belas Artes, Matão (1991); Centro Cultural de Porto Ferreira; Espaço Cultural do Tropical Shopping Araraquara "Homenagem ao Mito" Hotel Eldorado Araraquara; Espaço Cultural Banco do Brasil de Araraquara (1995); XXXVIII Salão Ararense de Artes Plásticas (1996); Casa da Cultura de Araraquara (1997); VI Sabart em Ribeirão Preto; Off Gallery - Inverno 98, Verão 98, 99, Outono 99 Brasília 99, Primavera 2000 e Virtual 2001; Galeria Moldurarte Ribeirão, Preto; II Salão de Bebedouro (1998); Galeria Cacoonins em Gramado (1998); Z&Z Galeria de Artes - Balneário Camburiu (1999); 5º Salão Vinhedense de Artes Plásticas (2000); Casa de Cultura de Araraquara (2001); 2001 Springs Art Show - Pennsylvania - EUA (2001); "Dia do Artista". Plástico" - Araraquara; Salão de Belas Artes de Piracicaba; 2002 Springs Art Show - Pennsylvania - EUA; "Dias das Mães" - Araraquara; Circulo Ítalo-Brasileiro - Catanduva (2002); "Kaiser Araraquara"(2003).

Recebeu inúmeros prêmios e distinções, destacando-se entre eles: Medalha de Ouro no I Salão dos Imigrantes em São Paulo (1995); Grande Medalha de Ouro no V Salão Brasileiro de Belas Artes de Ribeirão Preto (1996); Medalha de Ouro no Salão Abril de Belas Artes de Franca, Premio Aquisição Prefeitura Municipal de Bebedouro no I Salão de Artes Bebedouro Grande Medalha de Ouro no V Salão de Inverno de Olímpia Grande Medalha de Ouro no II Satarp em Taquaritinga (1997); Grande Medalha de Ouro no III SVAP em Vinhedo (1997); Medalha de Ouro XLI Salão Ararense de Artes Plásticas (1998); Pequena Medalha de Ouro no III Satarp em Taquaritinga (1998).