O neocubismo de Andréa Queirós resulta do perfeito equilíbrio entre sentimento e intelecto

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
15/10/2004 14:00


A característica geométrica da pintura de Andréa Queirós é marcante e um de seus pontos de partida é o cubismo. Baseando-se em uma reflexão crítica desse estilo e das poéticas que do cubismo seguiram em direção abstrata, a artista fundou sua própria linguagem sobre um sistema de planos que, variadamente decompostos, articulam o espaço numa pluralidade de prospectivas continuadamente móveis.

Suas composições parecem se colocar na confluência da realidade e da memória. No rigor de implantação arquitetônica, meditada em cada componente e em cada relação interna, elas englobam momentos específicos de uma nova experiência visual e emotiva.

Em razão do uso de cores, com registros sonoros impregnados de luminosidade, essas composições absorvem uma solar felicidade: miragem de um cosmos em perfeito equilíbrio entre sentimento e intelecto.

Andréa Queirós, cujos quadros se distinguem das produções contemporâneas, tem o mérito de reunir numa única estrutura energias até hoje divergentes e de iniciar o seu próprio movimento de liberação. A obra Menina com Pássaro, doada ao Acervo Artístico da Assembléia Legislativa, constitui a prova de que sua linguagem pictórica pode significar o aparecimento de um "neocubismo".





A Artista

Andréa Queirós nasceu em São Paulo em 1971. Filha do artista plástico Jurandi Assis recebeu, desde cedo, o incentivo do pai que observando seu talento, passou a dar-lhe aulas sobre as mais variadas técnicas de pintura. De 1990 a 1993, foi artista exclusiva do galerista Mauro Zukerman.

Participou de diversas exposições entre as quais destacam-se: Espaço Cultural da Caixa Econômica Federal na Granja Julieta, SP, (1990); Espaço de Arte Serendipity, SP, (1993 e 2002); Espaço de Arte Christian Gray, SP, (1994); Galeria Bric a Brac, SP, (1995, 1997, 1998 e 1999); Participação em Leilões, SP, (2000); Centro Cultural Avape, Casa da Fazenda, SP, (2001); Centro Cultural Avape, Santo André, SP; 1° Bis Art Expo, The British International School, SP; 1ª Expo Art Family, Taboão da Serra, SP, (2004).

Além de participar de eventos beneficentes e leilões de arte, foi selecionada para o Dicionário de Artes Plásticas de Julio Louzada (1992), para o Anuário "Arte & Artistas" (2003).

Possui obras em coleções particulares e oficiais no Brasil e no exterior, entre eles o Acervo Artístico da Assembléia Legislativa.