Deputado pede intensificação na limpeza e desassoreamento do rio Tietê


19/10/2004 16:00


O deputado Paulo Sérgio (Prona) encaminhou indicação ao governador solicitando a intensificação na limpeza e desassoreamento do Tietê. O canal de circulação existente no rio foi idealizado e construído para a captação dos cursos de água de seus afluentes, nas proximidades da barragem da Penha.

Periodicamente, a Secretaria de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, por meio do Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), realiza os trabalhos de limpeza e desassoreamento do canal, de forma a manter a sua capacidade de captação de águas tal como originalmente previsto.

Segundo o deputado, não basta aprofundar o leito do Tietê para eliminar o problema das inundações. Devido a suas características - rio de planalto, baixa declividade e baixa velocidade de escoamento -, o Tietê favorece o assoreamento de seu canal e, anualmente, milhões de metros cúbicos de areia, lixo e outros materiais precisam ser removidos para garantir a capacidade de vazão.

A enchente ocorre quando o Tietê recebe, repentinamente, grande volume de água dos seus afluentes, como o rio Aricanduva, que deságua milhões de litros em poucos minutos. A água, que já estava no Tietê a certa velocidade, precisa de algumas horas para ganhar força e adquirir velocidade maior.

Transtornos

Além dos prejuízos e transtornos sofridos pelas pessoas diretamente atingidas (doenças transmitidas pela água, como tifo, hepatite e leptospirose; destruição de residências, móveis, veículos e documentos, entre outros), a inundação nas marginais do Tietê atinge a economia da região, do Estado e do país.

Paulo Sérgio afirma que a área mais afetada pelas enchentes compreende as avenidas marginais ao rio Tietê, que servem de ligação para as 10 mais importantes rodovias do país e recebem 700 mil veículos diariamente.

"De forma global, no entanto, é importante que as obras de ampliação da calha, em andamento ou previstas no trecho Penha-Edgard de Souza, tenham asseguradas a vida útil e o desempenho hidráulico previstos em projeto", defende o deputado.