Rodoanel: sem salários, trabalhadores cruzam os braços em construção de casa para reassentados


17/09/2001 08:55


DA ASSESSORIA

Apesar da construtora Guerbara receber do governo do Estado para construir as 568 casas de dois conjuntos residenciais, no Jardim Conceição, Osasco, para reassentamento de famílias desalojadas pelas obras do Rodoanel, os funcionários estão sem o salário referente ao mês de agosto e entraram em greve em 13/9.

O jornal O Diário, de Osasco, aponta que cerca de 200 trabalhadores cruzaram os braços reivindicando, além do pagamento em atraso, registro em carteira, equipamentos de segurança e remuneração segundo o piso da categoria. Atualmente, a empreiteira paga por metragem, resultando em salários que variam entre R$ 70 e R$ 150. O piso da categoria é de R$ 481 e R$ 406 para ajudantes.

As obras deveriam ser entregues neste mês, mas não há previsão nenhuma quanto à sua finalização. O governo do Estado não cobra multa da construtora pelo atraso, mesmo pagando mais de R$ 400 mil a título de aluguel para as famílias e assessoria de uma empresa.

Os futuros moradores apelidaram o conjunto de Lego, jogo infantil de montar objetos a partir de pequenas peças. Orçadas inicialmente a R$ 5.800 a unidade, as casas que medem 40 m² e estão sendo construídas sem alicerce e estrutura de ferro nas paredes, já tiveram o custo quase dobrado, passando para R$ 10.800.

Para o deputado Emídio de Souza (PT), o descaso com as famílias que estão abrigadas provisoriamente chegou aos trabalhadores que estão construindo as casas. "A irresponsabilidade do governo é flagrante. Se está pagando a construtora, deve cobrar o devido ressarcimento aos trabalhadores e, se não está pagando, está negligenciando a situação dos futuros moradores."