Mogi quer campanha para viabilizar uso de escada Magirus

Recursos para compra do computador que permite operar o equipamento devem vir de empresas da cidade
14/09/2001 15:10


DA ASSESSORIA

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo,

coronel Wagner Ferrari, defendeu nesta quinta-feira, 13/9, a realização de uma campanha entre as construtoras e a Associação Comercial e Industrial de Mogi das Cruzes (Acimc) para obter os recursos necessários à aquisição de

computador responsável pelo funcionamento da auto-escada Magirus,

utilizada no combate a incêndios em edifícios.

A proposta foi discutida com o deputado Luís Carlos Gondim (PV), que expôs a Ferrari o processo de verticalização do município nos últimos anos e as reivindicações de moradores de prédios da cidade. A auto-escada já foi colocada à disposição de Mogi pelo comando dos bombeiros, e seu envio é defendido em campanha do jornal O Diário. Segundo o comandante, só está faltando a compra do computador, que é fabricado nos Estados Unidos e custa aproximadamente 50 mil reais. Ferrari esteve em Mogi na terça-feira, analisando o crescimento do número de edifícios.

Gondim saiu satisfeito do encontro com o comandante. "Estamos cumprindo nossa missão de encaminhar as reivindicações da comunidade. Agora, vamos nos empenhar na campanha ", afirmou. Para o deputado, "o Diário foi muito feliz em mostrar o problema da falta do equipamento à sociedade e cobrar soluções".

Grupamento

Segundo Gondim, o comandante apoiou a criação de um grupamento do Corpo de Bombeiros na cidade, proposta defendida pelo parlamentar desde que iniciou seu mandato na Assembléia Legislativa de São Paulo, há dois anos. "Mogi das Cruzes é um dos melhores postos do Estado e tem todas as condições de ser elevado a grupamento", afirmou Ferrari. "Sua localização estratégica permitiria atender ao Alto Tietê." Atualmente, o município é vinculado ao grupamento de Guarulhos, responsável por 32 municípios, que somam 5 milhões de habitantes.

A transformação - que, segundo Gondim, justifica-se também pela imensa malha viária que corta a região, com grande número de acidentes - traria maior autonomia para Mogi na aquisição de equipamentos e remanejamento de funcionários. Para que ela ocorra, o governador Geraldo Alckmin

teria que destinar à cidade um corpo de oficiais (um tenente-coronel, um major, três capitães e cinco tenentes); é necessário também um reforço do efetivo - em média, um grupamento funciona com 300 homens e o município conta com apenas 50.

Ferrari também não descarta a possibilidade de criar um grupamento em Barueri, alterando o status da unidade de Guarulhos. "Deixaríamos Mogi e Barueri como eixos", ele propôs. No Estado, existem 180 postos dos bombeiros, sendo 34 na capital, onde funcionam cinco grupamentos.

Gondim discutirá, em audiência com o governador Geraldo Alckmin, a participação do Estado na campanha para a aquisição do computador e o aumento dos investimentos na estrutura do Corpo de Bombeiros de Mogi das Cruzes. "O governador está atento aos problemas da região e, na medida do possível, vem nos ajudando", avaliou o parlamentar. "Esperamos que ele entenda mais uma vez a

importância desses pedidos, que significam a vontade da nossa comunidade." O deputado reforçou as reivindicações em pronunciamento no plenário da Assembléia Legislativa.