Acordo pode colocar fim à greve dos médicos residentes

O deputado Milton Flávio levou o comando do movimento para participar de audiência com o governador
18/09/2001 15:28


DA ASSESSORIA

A expectativa do deputado Milton Flávio (PSDB) é de que a greve dos médicos residentes que se arrasta desde o dia 23 de agosto está próxima de ser encerrada. Desde o início do movimento, o deputado vem intermediando a negociação dos grevistas com o governo do Estado.

Há quase 15 dias, o parlamentar tucano levou o comando do movimento para participar de uma audiência com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, da qual também participou o secretário da Saúde, José da Silva Guedes. Na ocasião, o governador propôs a concessão de um aumento parcial este ano e a complementação no ano que vem, comprometendo-se a realizar a equiparação do valor da bolsa dos médicos residentes paulistas com o valor a ser pago pelo governo federal. "O ministro da Educação, Paulo Renato Souza, apresentou a proposta de aumento de 23% para os federais, a ser incorporado no próximo ano", relembra Milton Flávio.

Na noite da última quinta-feira, 13/9,, quando o deputado desembarcava em São Paulo, recém-chegado de uma reunião da União Parlamentar do Mercosul realizada em Curitiba, um grupo de residentes o esperava no saguão do aeroporto de Congonhas. Preocupados em colocar fim ao movimento de greve, solicitaram que Milton Flávio obtivesse um documento que pudesse tranqüilizá-los com relação a solicitação de aumento de bolsa que haviam apresentado. "Eles precisavam de uma confirmação, já que na área federal alguns compromissos assumidos acabaram não se concretizando", afirma o deputado.

O governador, em contato telefônico com Milton Flávio, comprometeu-se na sexta-feira à tarde a conceder um reajuste de R$ 100,00 no valor da bolsa, já a partir de setembro. "Informei isso ao secretário José da Silva Guedes, justamente no momento em que estava reunido com os residentes na Secretaria da Saúde e ele se dispôs a formular o documento. Já no mês de outubro, os residentes estarão recebendo o pagamento com o novo valor da bolsa", afirma Milton Flávio.

"O governador disse que se o governo federal ajudasse, poderia pagar o aumento integralmente neste ano. Mas como estamos em meados de setembro e o orçamento encontra-se em execução, não haveria folga para a concessão do aumento integral. A equiparação com o governo federal está garantida para 2002. Espero que com isso a greve chegue ao fim", concluiu.