Audiência pública na baixada deverá discutir VLT

Maria Lúcia Prandi vinha cobrando a realização de um debate regional sobre o sistema de VLT
19/03/2002 17:40


DA ASSESSORIA

A deputada estadual Maria Lúcia Prandi (PT) foi informada de que será realizada, no próximo dia 28/3, audiência pública sobre a implantação, na Baixada Santista, do sistema de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT). Desde o início do ano passado, a parlamentar vinha cobrando do governo estadual a realização de um amplo debate regional sobre a instalação desse meio de transporte coletivo. No último dia 5/3, a deputada encaminhou ofício ao secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Ribeiro Fernandes. "A realização do debate foi um compromisso assumido pelo secretário durante encontro com lideranças políticas regionais, em dezembro do ano passado."

Durante o encontro de dezembro a parlamentar entregou ao secretário um dossiê com cerca de 500 páginas, relatando sua luta em defesa do transporte ferroviário de passageiros na região e a importância do VLT para a Baixada. Além de cópias de ofícios, reportagens, requerimentos de informações, indicações e emendas orçamentárias, o documento também continha um abaixo-assinado com cerca de 10 mil adesões ao VLT.

Segundo a deputada, a audiência pública será uma oportunidade de toda a região conhecer detalhadamente o projeto e opinar para aprimorá-lo. "Vamos continuar lutando até que o VLT entre em funcionamento e ofereça à população um meio de transporte mais ágil, barato e não poluente", frisa a parlamentar, que luta pela valorização do transporte ferroviário de passageiros na Baixada.

Para Maria Lúcia, a implantação do VLT é fundamental para o processo de desenvolvimento da Baixada, que deverá ter um crescimento populacional após a conclusão das obras da segunda pista da rodovia dos Imigrantes. "Estimativas apontam que cerca de 1 milhão de pessoas deverão vir residir na região. A segunda pista deverá estar pronta no fim deste ano, enquanto o projeto do VLT sequer saiu do papel. Sem este sistema de transporte o trânsito na Baixada poderá ficar caótico", pondera Prandi.

"Por isso, defendo que, no caso de não haver interesse da iniciativa privada, o governo estadual assuma a implantação do VLT. O VLT é tão estratégico para a Baixada como é o Metrô para São Paulo, onde o governo arca com os recursos necessários", frisa Prandi.

De acordo com informações divulgadas pela imprensa, o projeto todo poderá chegar a R$ 280 milhões e deverá ser executado em quatro etapas.