Unidade de intenções e de lirismo na contínua renovação pictórica de Solanger Paschoalino

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
21/10/2004 14:00

Solanger Paschoalino<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/solanger Pascholino.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Obra Integrações Paulistanas<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/S. Pascholinointegracoes paulistanas.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Obra O ritmo das brumas<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/S.Pascholino ritimo das brumas.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A arte de Solanger Paschoalino revela certas ascendências futuristas e resolve, de maneira inovatória, os estímulos das cores e dos espaços com a força expansiva da inspiração controlada por uma seriedade pictórica, clara e sincera dentro da realidade do tempo em que vive.

A artista clama artisticamente por uma liberdade ilimitada. Sua ação construtiva se concretiza numa tríplice expressão: cor, movimento e luz. Por meio de sua pintura demonstra ser uma pintora que conhece uma vontade contínua de renovação, que a estimula a pesquisar em diversas direções para depois confirmar uma substancial unidade de intenções e de lirismo em varias fases de seu trabalho.

Os motivos de seus quadros são quase sempre intercalados por uma estrutura formal da composição de origem pós-cubista. Desenhista hábil, de traço forte e firme, constrói figuras onde procura escolher a dimensão espiritual do personagem. No caso de suas composições florais sente-se que as variações provêem de uma sábia e rápida elaboração do "empasto", no qual as cores não se fundem completamente, mas permanecem com leves veladuras pulsantes que conseguem fazer sentir vivo a "linfa" que as alimentou.

Espaços, luzes e matéria coabitam em transparências ideais no tecido emblemático da pintura de Solanger Paschoalino. Suas obras falam claro. As nebulosas atmosferas, impregnadas de fortes pinceladas, representam e são testemunhos de nosso tempo, repletos de interrogações.

Serenidade, harmonia, e delicadeza de expressão são qualidades que encontramos nas obras "Integrações Paulistanas" e "O ritmo das brumas", doadas ao Acervo Artístico do Parlamento Paulista, nos quais a artista transmite alegrias e esperanças num mundo cheio de incertezas.

A Artista

'S.Paschoalino' ou "Sn.Paschoalino', pseudônimos artísticos de Solanger Paschoalino, nasceu em São Paulo em 1951. Formou-se em desenho publicitário pela Escola Panamericana de Arte (1969) e desde então desenvolve atividades na área artística. Utiliza em suas obras as mais variadas técnicas: óleo sobre tela, aquarela, acrílico e texturas mistas sobre tela.

Cursou desenho publicitário com Manoel Vitor Filho (1969); pintura a óleo com Menacho (1982); pintura á óleo e veladura com André Lombardi (1991); naturezas mortas com Antônio da Costa Junior (1992); aquarela com Fábio Cembranelli (1992); paisagens com Luis Pinto (1993 a 1994); técnicas contemporâneas com Cecília Braun (1996 a 1997) e técnicas e texturas contemporâneas com Osman Said (1997 ). Lecionou pintura acadêmica na Galeria Finarte (1993) e na Galeria Elmi Acciolli (1998).

Participou entre outras das seguintes exposições: "Casa e Jardim" (1990); Salão Belas Artes Abril, Franca (1993); VIII Salão de Artes Plásticas de Arceburgo, Minas Gerais; Salão Oficial de Belas Artes de Matão; III Salão de Artes Plásticas e Foto, Assoc. Art.Plásticos de Sto. Amaro; Salão de Belas Artes Abril, Franca (1994); Salão Oficial de Belas Artes de Matão; Espaço Cultural Caixa Econômica Federal, Agência Monções (1996); Galerie Brésil, Paris; Salão de Belas Artes, Franca; "Em Algum Lugar do Passado", Galpão das Artes; II Salão Brasil Nova Era de Artes Plásticas; Salão de Arte de Tatuí, SP (1997); XV Salão de Artes Plásticas de Rio Claro; II Salão da Primavera, Jandilisa Espaço Cultural, SP; Fundação Mokiti Okada (1997); Galeria Elmi Acciolli (1998); Grand Marché D'art Contemporain, Paris, França e Berlim, Alemanha (1998 e 1999); Movimento Espiritualista Universal do Final do Milênio, Vaticano, Roma; XIII Salão de Artes Plásticas de Arceburgo, MG (1997 e 1998); Centro de Convenções Rebouças, SP; "Quando o Norte e o Sul se Encontram", Fundação Mokiti Okada, SP; Centro Cultural Aricanduva, SP; Centre d'Activités Sportives et Culturelles, Paris, França; Casa da Fazenda do Morumbi; Arte Padova, Itália (2001); Galleria Giuliano Ottaviani, Roma, Itália (2002); Castello Savelli, Palombara Sabina, Itália; "Arte Del Terzo Millennio", IV Biennale Internazionale di Roma; Espaço Cultural Paineiras do Morumbi; "Coração e Arte", Espaço Cultural Incor; XXI Salão de Artes Plásticas de Rio Claro; 2º Salão e Fórum de Inovação Tecnológica; "Art In Forma", Galeria Mali Villas-Boas, SP (2003).

Possui obras em coleções particulares em Portugal, Itália, Estados Unidos e Brasil em Acervos oficiais como o Instituto Histórico e Cultural de Arceburgo, MG, e Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

Recebeu vários prêmios, medalhas e ouro e de prata no Brasil e no Exterior, destacando-se o prêmio Regione Lazio, na Bienal Internacional de Roma, nas categorias pintura contemporânea e pintura acadêmica.