Assembleia popular


26/06/2009 10:03

Compartilhar:


Não somos chorões



Para o professor de história Erlon Chaves de Castro, para incrementar a qualidade do ensino fundamental são necessários investimentos não só na preparação, como, também, para aumentar o número de professores, além de melhorar a merenda dos alunos. "Nós professores não somos chorões, só lutamos pela melhora do ensino fundamental", concluiu.





Militares ganham pouco em São Paulo



"Quatro milhões de assinaturas tem o abaixo-assinado que sustenta a PEC 300, pela equiparação de salário de todos os policiais militares com os do Distrito Federal" disse Clóvis de Oliveira, da Asbra. Para ele, o salário dos policiais militares de São Paulo é o menor de todos.





Obediência à lei



José Roberto Alves da Silva, do Movimento de Olho na Escola Pública, reclama que nas manchetes da imprensa só se lê sobre irregularidades praticadas no Senado. Quanto ao Executivo da cidade de São Paulo, disse que Kassab substituiu o Plano Diretor da cidade, quando tinha apenas que obedecer ao antigo e o que está previsto em lei.





População marginalizada



José Gomes Pinheiro, representante da população de rua e de albergues, pediu um levantamento de quantas pessoas que frequentam albergues e centros de convivência fizeram cursos profissionalizantes. Na sua opinião, nenhum morador de rua foi reintegrado à sociedade por não ter acesso, na prática, a recursos como esses. O orador citou também o que chamou de "loteamento" da cidade de São Paulo que teria sido feito aos 55 vereadores do município.





Discussão avançada



Josanias Castanha Braga, do Movimento Social Parelheiros, falou sobre a promessa de campanha do atual prefeito de São Paulo de construir um hospital em Parelheiros com 250 leitos. De acordo com o orador, houve avanços nesta discussão em reunião realizada na subprefeitura de Parelheiros em que se aventou a possibilidade de utilizar, para a construção do hospital, terreno na região com 42 mil metros quadrados.





Falcatruas generalizadas



Ricardo Monteiro Souza, o Manndella, da ASTEGO " Associação Brasileira dos Técnicos de Imobilização Ortopédica, falou sobre as denúncias de falcatruas no senado e ironizou dizendo que "Sarney é um santo" e que "aqueles que nos assistem são tolos e otários". Afirmou que essa "máfia" está também nas assembleias legislativas e nas câmaras municipais. Citou também fala do presidente Lula em que teria sugerido que o dinheiro dado aos pobres volta aos cofres públicos e o dado aos ricos, vai para o exterior.





Bom e mau trabalho



Após cumprimentar os deputados Simão Pedro, Vanderlei Siraque e Vaz de Lima, pelo bom trabalho que vêm fazendo pelo Estado de São Paulo, a delegada de polícia aposentada Maria Limas Matos, do Movimento de Mulheres em Defesa da Vida, criticou o governador José Serra por descumprir artigos da Declaração dos Direitos Humanos.





Isenção Tarifária



Reclamando da SPTrans pelos obstáculos que impõe aos deficientes físicos na obtenção da isenção tarifária a que fazem jus, Marcelo Francisco Vilas, da Deftecnologia, citou seu próprio caso, quando recebeu em sua casa carta da empresa pondo em dúvida seu atestado de residência.





Parabéns ao prefeito Kassab



Cremilda Estella Teixeira, do Núcleo de Apoio a Pais e Alunos (NAPA), deu os parabéns ao prefeito Gilberto Kassab por ter divulgado os salários pagos aos professores municipais. Muitos deles, segundo ela, não merecem o que ganham.





O povo não se engana



"A imprensa tenta enganar o povo, mas não consegue", declarou Sílvio Luiz Del Giudice, da Associação de Amigos do Jardim Tremembé. Ele entende que o presidente Lula deveria investir no cinema brasileiro com filmes que esclarecessem mais a população. Após elogiar o governo de Lula, classificado por Del Giudice como "brilhante", ele criticou o neoliberalismo e o capitalismo selvagem existentes no mundo. O orador indicou filmes para o povo, como Carandiru, Nômades e Trezentos.





Hospital e outros benefícios



Dizendo que iria a Brasília esta semana, Merice Andrade de Quadros, da ONG Embu Guaçú em Ação, narrou sua luta pela construção de um Hospital na região de Parelheiros. Disse que se reuniu com o subprefeito daquela região e que a população de lá não quer um "puxadinho", quer um hospital que atenda a demanda da região, que é grande. Ela alertou, entretanto, que "não basta hospital sem bons médicos, pessoas sem moradia, alimentação, bons professores e transporte de qualidade".





Muros da escola



Mauro Alves da Silva, do Grêmio Social Recreativo Sudeste, disse que há muitos professores que estão adorando os tribunais de alunos mostrados pelo filme francês "Por trás dos muros da escola". Segundo ele, tanto aqui, quanto lá, ninguém quer ouvir de fato o que os alunos têm a dizer, mas sim lhes atribuir culpas e obrigá-los a pedir desculpas por atos de indisciplina.





Batatas em fritura



Walter da Silva Leite, ex-presidente do Crei-Imesp, disse que participou nos últimos dias de dois importantes encontros de entidades que representam aposentados. Segundo ele, os parlamentares devem saber que "as batatas deles estão sendo fritas", pois há milhares de pessoas trabalhando em prol dos precatórios alimentares que estão de olho na negligência da classe política sobre esse assunto.





Exclusão



Anderson Cruz, do Instituto de Educação de São Paulo, criticou aqueles que só falam mal dos ricos e não combatem a exclusão dos pobres. Segundo o orador, os bancos e as universidades particulares nunca ganharam tanto, mas isto não tem diminuído a exclusão.





Cultura ferroviária



A preservação da história ferroviária do Estado e a recuperação das estações e composições são os objetivos que nortearam a criação do Instituto Paulista de Preservação da Cultura Ferroviária, segundo Ângelo Dornelles Santos.