Da Tribuna


06/06/2016 19:37


CORONEL TELHADA - Informa o falecimento de agente da Segurança Pública. Exibe foto do guarda civil metropolitano, de 34 anos, morto no último sábado. Discorre sobre as condições do crime. Externa seus sentimentos à família do policial. Compara as manifestações ocorridas com a morte de gorila em um zoológico, após a queda de uma criança em sua jaula com as ocorridas nas mortes frequentes de policiais militares e agentes da Segurança. Comenta a morte de menino de 10 anos, que participou de assalto e fugiu da polícia em carro roubado. Mostra imagens do menino dirigindo o carro em fuga. Ressalta que não acreditaram nos policiais que relataram o caso, somente quando o cúmplice do garoto morto deu uma entrevista. Lamenta que atualmente a palavra do policial não vale mais nada. Afirma que é necessário mudar a posição em relação às forças de Segurança, que estão presentes nas ruas para defender os cidadãos de bem.

CARLOS GIANNAZI - Menciona sua participação em reunião com servidores da USP, que estão em greve, denunciando as atuais ações do reitor. Afirma que estas ações estão prejudicando diversos setores da universidade, como o ensino, a extensão, a assistência e a pesquisa. Informa que o reitor defendeu a retirada do Sintusp de dentro da universidade e que tem impedido a entrada de novas crianças nas creches, apesar de haver vagas. Afirma que o reitor está incorrendo em crime de responsabilidade e de improbidade administrativa. Tece considerações a respeito de projeto de lei, datado de 2003, que tenciona instituir o plano estadual de Educação, em trâmite nesta Casa. Responsabiliza os governos do PSDB pelo atraso na aprovação do citado ordenamento. Clama pela limitação do número de alunos em sala de aula que contenha criança portadora de autismo.

WELSON GASPARINI - Lamenta medidas regimentais frequentemente usadas com o intuito de não discutir temas relevantes. Defende o respeito a decisões majoritárias. Elogia o governo do Estado. Ressalta o princípio da impessoalidade na condução das decisões governamentais. Reflete acerca da crise econômica a afetar o país.

CARLOS GIANNAZI - Afirma que pleiteia a aprovação do plano estadual de Educação desde 2007. Aduz que o Governo do Estado é detentor de grande influência decisória neste Parlamento. Acrescenta que deve obstruir o PL 249, que pretende privatizar parques de uso comum do povo.

WELSON GASPARINI - Rebate o posicionamento do deputado Carlos Giannazi, quanto ao uso do instituto regimental denominado obstrução. Lamenta o que considera prejuízo às deliberações.

CARLOS GIANNAZI - Reitera que a obstrução é destinada a impedir ou dificultar a aprovação de projetos de lei que prejudiquem a população. Lista temas de projetos que, a seu ver, são obstruídos pela base do governo. Reflete que dos 94 parlamentares em exercício de mandato nesta Casa, apenas 17 são oposicionistas.