Opinião: Em defesa da ciência e da pesquisa


24/06/2016 14:08 | Welson Gasparini*


Mesmo sendo vice-líder do PSDB na Assembleia Legislativa e também por ser vice-líder da minha bancada entendi " até para evitar ao governo honrado de Geraldo Alckmin incorrer num equívoco do qual poderia se arrepender no futuro " tomei posicionamento claro em relação ao Projeto de Lei nº 328 visando a venda de imóveis considerados ociosos pelo Estado. O problema é que, entre esses imóveis " muitos deles realmente dispensáveis num período no qual as finanças estaduais sofrem o reflexo da crise econômica vivida pelo país com a queda na arrecadação de tributos " encontram-se 18 deles utilizados como centros de pesquisa de grande importância no Estado de São Paulo.

Comecei a estudar esse assunto principalmente pelo fato de este projeto atingir, em Ribeirão Preto, um imóvel localizado na avenida Bandeirantes, 2419. Acontece que, nesse local, estão situadas a sede e demais edificações do Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico do Centro Leste da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. Este centro de pesquisas existe desde 1934 e abriga, em seu quadro funcional, 16 pesquisadores doutores, 25 funcionários de apoio e um engenheiro agrônomo trabalhando em parcerias com entidades nacionais e internacionais. Minha ideia inicial era pedir a exclusão desse imóvel da relação constante desse projeto, mas, ao constatar que dela constam outros centros de igual nível, decidi solicitar sua imediata retirada pelo governo de modo a revisá-lo e readequá-lo em conformidade com o próprio interesse público.

Infelizmente, o governo, certamente mal assessorado, apresentou à Casa um projeto gerador de revolta pelo prejuízo que poderá trazer à pesquisa e à ciência paulistas. Quanto a outros imóveis nele relacionados - comprovadamente desinteressantes para o Estado - nada tenho a opor, mesmo porque não possuem justificado interesse social.

Aproveitei, inclusive, em pronunciamento feito da tribuna na sessão do último dia 21 de junho, para cumprimentar meu colega, o nobre deputado Carlos Neder, pela ação proposta em juízo que possibilitou à Alesp analisar com celeridade, mas também com profundidade, esse projeto em tão má hora encaminhado para sua apreciação.

Há cerca de 15 dias, falei com o líder do Governo e com o líder da bancada de meu partido, o PSDB, tomando uma posição firme e, já então, pedindo o reexame desse assunto. Durante esse período, estudei profundamente essa questão e, portanto, como integrante do partido apoiador do governo, senti-me à vontade para apelar ao governador no sentido de retirar esse projeto para, com urgência, reexaminá-lo e corrigir os pontos questionados. Minha consciência, frisei, me impede de aceitar essa aberração danosa para o campo social e cientifico de um Estado sempre orgulhoso da sua merecida liderança como polo educacional e tecnológico.

*deputado estadual (PSDB), advogado e ex-prefeito de Ribeirão Preto.