Da Tribuna


30/06/2016 19:20 | Da Divisão de Taquigrafia da Assembleia


WELSON GASPARINI - Combate a falta de saneamento básico em todo o País. Dá conhecimento de que cerca de 100 milhões de brasileiros não têm rede de esgoto, nem água encanada ou tratada. Apela ao governador Geraldo Alckmin que priorize os investimentos nesse setor. Ressalta que o tema já fora abordado em campanhas da Fraternidade, da Igreja Católica.

CARLOS GIANNAZI - Lamenta a sanção, hoje, de lei que privatiza parques, florestas e cavernas estaduais. Cita alguns dos locais entregues à iniciativa privada. Destaca as consequências da lei, principalmente para a população mais carente. Enfatiza, entre elas, o que avaliou como sérios prejuízos ambientais, além da redução no acesso de frequentadores dos parques, uma vez que, adita, os ingressos serão cobrados. Elenca medidas que serão tomadas contra a referida legislação.

JOOJI HATO - Discorre sobre os riscos de assaltos de ciclistas em ciclovias da Capital. Dá conhecimento de que sete bicicletas, em média, são roubadas diariamente na cidade. Mostra vídeo sobre o assunto. Lembra lei dos desmanches, que controla e recupera peças seminovas de veículos. Sugere que seja elaborado um projeto para as bicicletas, nos mesmos moldes. Fala sobre a situação caótica do trânsito em outros países, como no México. Tece críticas ao comportamento dos motociclistas, que agridem pedestres e motoristas de carros. Defende a instalação de câmeras de segurança em pontos estratégicos.

CARLOS GIANNAZI - Denuncia o governo estadual pelo descumprimento de diversos direitos trabalhistas do Magistério, entre eles, o não pagamento da prova de mérito, do estágio probatório e a redução de quase metade do bônus a professores. Acusa o Executivo de promover benefícios fiscais a grandes empresas, ao passo em que afirma não ter recursos para pagar os servidores. Afirma estar em obstrução à votação da LDO.

WELSON GASPARINI - Reflete sobre as crises econômica e política pela qual passa o Brasil. Considera que, além destas, há ainda a crise moral. Repudia o desvio de bilhões de reais pela classe política. Lamenta a morosidade da Justiça, visando a punição dos envolvidos. Demonstra preocupação diante do número de desempregados, superior a onze milhões de pessoas. Faz críticas à Educação brasileira, que forma alunos despreparados para o mercado de trabalho. Chama a atenção para as eleições municipais que ocorrerão neste ano, ocasião em que o Brasil tem a chance de renovar seu quadro de representantes.