Cooperativa regional fortalece agricultores familiares de Araraquara


23/11/2017 12:15 | Da assessoria da deputada Márcia Lia


A deputada Márcia Lia participou da posse da diretoria da Cooperativa dos Agricultores Familiares de Araraquara e Região (Cooper) Morada do Sol, em cerimônia realizada no barracão do Assentamento Monte Alegre 3, em Araraquara, na presença de um grupo de 40 a 50 pessoas. A cooperativa foi criada com apoio técnico e jurídico do mandato da deputada. "Está muito claro para todos que a comercialização de produtos da agricultura familiar não pode ser feita individualmente. Para termos capacidade de competição, temos que disputar os editais e chamadas públicas em grupos. As disputas não favorecem o produtor que trabalha sozinho, por isso estamos nos unindo em um coletivo para fortalecer a venda, a entrega e a distribuição dos produtos", explica Márcia Lia.

O mandato contribuiu com a formação da Cooper Morada do Sol desde a proposta de organização dos produtores rurais de Araraquara e região. A equipe deu suporte jurídico para a elaboração do regimento e formação de diretoria executiva e conselho fiscal, ofereceu espaço físico para as reuniões, organizou visitas a cooperativas nas cidades de Jaú, Sorocaba e Capão Bonito, que têm experiências bem-sucedidas, e orientou os assentados na definição dos objetivos desta organização.

Presidida pelo assentado João da Silva dos Santos, do Monte Alegre/Motuca, a Cooper Morada do Sol poderá atender 83 cidades das regiões de Araraquara, Ribeirão Preto e Franca e terá como principal objetivo dar suporte aos associados nas áreas jurídica, técnica e organizacional.

"Precisamos ter em mente que este é um trabalho profissional, de orientação técnica capacitada. Quem administra a cooperativa não tem de se preocupar com a produção, porque não dá para o agricultor tocar as duas coisas ao mesmo tempo. Ele tem que pensar, propor, resolver as questões do coletivo", ressalta a deputada.

Com a Cooperativa será mais fácil participar das chamadas para compras públicas, como por exemplo, do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), e dos processos de compras do setor privado.

Os produtores poderão planejar a produção de acordo com as necessidades do mercado consumidor, poderão trabalhar com quitandas e oferecer um maior volume de produtos. "A Prefeitura de Araraquara, por exemplo, hoje não compra do produtor individual, só vai comprar de cooperativas e associações porque existe uma série de entraves, de dificuldades inclusive para pagar o produtor individual", fala a coordenadora municipal de Agricultura, Silvani Silva, que participou da atividade.