Estado de São Paulo Transparência ALESP
14/06/2017 19:08

Entrevista com o deputado Roberto Massafera

Beatriz Correia - Foto: Vera Massaro


Download
Roberto Massafera

Aos 73 anos, o deputado Roberto Massafera, atual líder do PSDB na Assembleia, começou a fazer política ainda jovem a partir de movimentos universitários. A experiência como diretor e tesoureiro do centro acadêmico foi o primeiro passo para a atuação pública do parlamentar. Ele conta, nesta edição do Mandato em Pauta, sobre as funções e responsabilidades de um deputado estadual e afirma, citando o filósofo Aristóteles, que o dever de civilidade é de todos: "Todo homem é um ser social e sendo social está na vida pública".

Após formar-se em engenharia pela USP de São Carlos em 1968, Massafera dedicou-se à profissão até 1988 e só então voltou à vida política. No mesmo ano, candidatou-se à prefeitura de Araraquara e perdeu as eleições. Quatro anos depois, candidatou-se novamente e foi eleito prefeito da cidade da qual hoje é um dos representantes na Assembleia Legislativa. Além de formado em engenharia, o parlamentar é pós-graduado em planejamento urbano, tem especialização em administração pública e MBA em gerenciamento de empreendimentos.

Atividade parlamentar

Roberto Massafera foi eleito deputado estadual pela primeira vez em 2006 e ocupa o cargo há quase 11 anos. O parlamentar comenta que do primeiro mandato para o terceiro, que exerce atualmente, não houve muitas mudanças na Casa. "A Assembleia Legislativa tem 94 deputados em um ritmo estrutural que vem se preservando. Para mim, esse ritmo é inadequado", afirma.

Massafera explica que as funções de um deputado são divididas em duas partes: a legislativa e a de base. A primeira é referente ao trabalho realizado na Assembleia, propondo leis, participando de comissões, frentes parlamentares e comissões parlamentares de inquéritos (CPIs). A segunda é o trabalho realizado nas regiões que cada deputado representa, como participação em eventos locais, inaugurações e atendimento às demandas da comunidade por meio dos prefeitos.

Ele comenta que há muita diferença entre as duas atividades. "Fazer leis e participar de CPIs não traz voto. É a atividade na base, com o povo que você representa e que te elege. Eu sou representante das cidades de Araraquara, São Carlos, Matão e da Região Central, e nós temos que buscar manter uma intensa atividade política", declara.

A principal função de um deputado estadual é propor, emendar ou alterar projetos de lei que representem os interesses da população. Além disso, os parlamentares são responsáveis por fiscalizar o trabalho do governador para garantir o bom funcionamento do Estado. Os deputados estaduais também julgam anualmente as contas prestadas pelo Executivo e participam da elaboração do orçamento. É função do Legislativo decidir o salário do governador, do vice e dos próprios deputados.

Crise política

Sobre a situação atual do Brasil, o deputado declara que a classe política está com uma imagem ruim diante da população. "Vereador, deputado estadual, deputado federal e ministros, todos estão com descrédito", afirma. Massafera conta que o país passa por um momento de transição. "O Brasil, via Petrobras, fundo de pensão e BNDES, sofreu um grande abalo nas finanças do ponto de vista político", afirma.

Com 14 milhões de desempregados e 6 milhões de jovens que nunca conseguiram um emprego com carteira assinada, o deputado garante que a nação brasileira passa por uma crise inédita, mas que tem solução. "Eu acho que o Michel Temer, como constitucionalista e com a sua experiência, reúne condições de terminar o mandato dele".

O deputado considera incerta a possibilidade de eleições diretas, como pede parte da população. "Não temos opções de líderes sem marca de fogo, sem algum problema", declara. Massafera defende a aprovação das reformas sugeridas pelo governo de Temer e também de uma reforma política e acredita que, assim, o presidente que assumir em 2019 encontrará um país mais organizado.

Educação

O parlamentar defende a educação pública e gratuita em todos os níveis e explica que a qualidade do ensino atualmente deixa a desejar. "O Brasil ainda é um país pobre, e só pela educação é possível você ter uma ascensão social", diz. Destaca ainda a progressão continuada como influenciador da baixa qualidade do ensino.

Além disso, conta sobre o processo de transferência do ensino técnico estadual para o Centro Paula Souza, seguindo um modelo alemão, pelo qual para entrar na ETEC o aluno passa por uma seleção. "Em 2000, as escolas técnicas estavam com níveis altos de qualidade e os alunos saíam preparados para disputar o vestibular", explica. Segundo Massafera, a credibilidade do Centro Paula Souza é bastante reconhecida. "Quem faz ETEC tem emprego garantido na conclusão do curso, e os que estudaram nas Fatecs também. Isso mostra que o caminho está certo, eu defendo esse modelo", diz.

Futuro político e sonho

Roberto Massafera afirma não desejar o cargo de deputado federal e critica a falta de critério para a escolha dos representantes. "Um deputado federal precisa da experiência de vereador e de deputado estadual antes. Não pode colocar alguém sem bagagem política porque é um peso para o país", disse. O deputado defende ainda que não exigir especializações de políticos é um erro democrático.

Como líder do PSDB na Casa, Massafera explica que o trabalho de quem ocupa esta posição é auxiliar individualmente os deputados sob sua representação: "Você cuida de vinte deputados e cada um tem problemas na sua região. O líder deve estar a serviço deles".

O deputado declara o que seu sonho é ver realizados os ideários da juventude, como educação boa, acesso e igualdade social. "O Brasil é um país muito desigual porque somos saqueados desde 1500", afirma. Há 129 anos a escravidão foi abolida no Brasil a partir da Lei Áurea e, mesmo com a liberdade, os escravos não receberam suporte da sociedade para estruturar uma vida social. "Temos uma dívida histórica social muito grande e enquanto ela não for paga esse país não será uma verdadeira nação. Se nós lutarmos muito hoje, vamos conseguir mudanças para quando nossos netos estiverem adultos", diz.

Roberto Massafera Roberto Massafera