Estado de São Paulo Transparência ALESP
07/08/2017 19:57

Alesp realiza a primeira Audiência Pública do Orçamento 2018 em Mogi das Cruzes

Audiências Públicas Orçamento 2018 - Mogi das Cruzes

Da Redação - Foto: José Antonio Teixeira


Download
Estevam Galvão (ao centro), presidente da audiência, e representantes da região

A Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa de São Paulo promoveu a primeira Audiência Pública do Orçamento 2018 na sexta-feira (4/8). Durante a reunião, realizada na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, foram levantadas questões relativas ao município, ao seu entorno e à região do Alto Tietê.

Presidida pelo deputado Estevam Galvão (DEM), 2º Secretário da Alesp, o evento contou também com a presença de prefeitos e vereadores " e teve ampla participação popular e de entidades da sociedade civil.

Para Galvão, essas reuniões conduzirão à regionalização do orçamento estadual. "As audiências públicas são muito importantes, pois o povo sabe exatamente das necessidades e das peculiaridades de cada município e de cada região", afirmou.

O deputado Luiz Carlos Gondim (SD) esteve presente e foi à tribuna falar contra a transferência de recursos originalmente destinados às obras de mobilidade e melhoria de estações da CPTM para o arco rodoviário da Tamoios. "Não temos acessibilidade e estamos preocupados com a reforma das estações. Temos de pensar nos usuários dos trens", disse. Gondim também discursou sobre a necessidade de melhorar os serviços de saúde oferecidos pelo Estado à população.

André do Prado, deputado do PR, manifestou-se contra o fechamento do Hospital Guido Guida, em Poá. Disse que esteve reunido com o secretário da Saúde, David Uip, e que será desenvolvido um trabalho conjunto entre as equipes técnicas da prefeitura de Poá e da secretaria para "diminuir os custos do hospital, a fim de que o governo do Estado possa ajudar o município de Poá".

Saúde

Preocupados com a possibilidade de fechamento de leitos hospitalares, prefeitos e vereadores também pediram mais recursos para a saúde. Nesse sentido, Marcus Melo, prefeito de Mogi das Cruzes, tratou especificamente da necessidade de mais recursos para a maternidade, a Santa Casa e as unidades básicas de atendimento à saúde no município. Já os vereadores do Alto Tietê mostraram preocupação com o sucateamento dos serviços e os efeitos da crise econômica no setor. Falaram a esse respeito os vereadores de Mogi das Cruzes Antonio Lino, Edson Santos, Iduigues Martins, Otto Rezende e Pedro Komura, e de Bertioga, Matheus Rodrigues.

Santos também abordou a necessidade de criar-se um centro de referência para o atendimento às mulheres vítimas de violência, e Rodrigues criticou o sistema Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde).

Além da saúde, recursos para outras áreas foram solicitados pelos vereadores. Komura pediu apoio para a regularização de loteamentos clandestinos; Lino defendeu a instalação de uma unidade do Programa Bom Prato em Jundiapeba; e Rezende reforçou a questão da acessibilidade nas estações da CPTM, além de pedir recursos para a Polícia Ambiental.

Educação

O prefeito de Biritiba Mirim, Jarbas Aguiar, destacou a necessidade da construção de mais escolas na região. Além disso, representantes sindicais trouxeram diversas demandas do setor, como melhorias nas condições das escolas e das salas de aula. Dentre eles estiveram o professor Nabil Francisco de Moraes; Alvaro Augusto Dias Júnior, da Aproffesp; José Roberto Pereira, da Apeoesp; e Maria Aparecida Romeiro Leal, da Apampesp.

Outros temas

A questão ambiental foi apontada aos deputados por meio de pronunciamentos referentes ao esgotamento dos aterros sanitários e à falta de investimentos em coleta seletiva e reciclagem. Falaram sobre o assunto José Antonio da Costa, da OAB, e Silvio Marques, do Movimento Contra o Lixão " Usina Sim, Aterro Não.

Wagner Santos, coordenador do Movimento dos Moradores de Rua, manifestou-se acerca da necessidade de atender a população em situação de rua.

Roberto Fukumaru, do Forum Mogiano LGBT, abordou questões relacionadas ao respeito à diversidade.

Em votação, as prioridades indicadas pela população para o Alto Tietê foram educação (presente em 22% das cédulas), saúde (16%) e segurança pública (9%).

No encerramento, o deputado Estevam Galvão declarou: "eu devo dizer que esta audiência pública foi infinitamente melhor e mais participativa do que a do ano passado. E tenho convicção de que no próximo ano será ainda melhor."

A segunda Audiência Pública do Orçamento está marcada para o dia 10/8 (quinta-feira), às 10h, na Câmara Municipal de Jundiaí. Ao todo, serão 25 audiências, realizadas em todas as Regiões Administrativas do Estado de São Paulo.

Carlos Evaristo, presidente da Câmara de Mogi das Cruzes Câmara Municipal de Mogi das Cruzes Público presente na audiência