Silvana Panella pinta a natureza envolvida numa atmosfera de conto de fadas

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
11/02/2005 14:00

Clique para baixar a imagem" alt="Obra "Beija Brasil"Clique para baixar a imagem"> Silvana Panella<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/Silvana Panela.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A fauna e a flora brasileiras retratadas pelo pincel de Silvana Panella nascem de estruturas límpidas, quase irreais, como de sonho e constituem aberturas sobre um mundo de eterna primavera. A artista nos oferece os frutos de seu assíduo e apaixonado labor e nos transmite a natureza envolvida numa atmosfera de conto de fadas. O todo através da intensidade de sua arte e o encanto de uma doce música de linhas e cores.

Na busca de originalidade e de bom gosto, Silvana Panella demonstra também seu amor pela arte e pela nossa natureza luxuriante. Fonte de novas energias que dirigem, entretanto a um preciso espontâneo entendimento: a procura do belo.

Colorista espontânea, rica de humor, a pintora encontra a beleza através da policromia dos papagaios, dos colibris, dos tucanos, dos peixes e da imensa variedade de nossas flores. Guiada por um instinto poético, seus dedos parecem dedilhar as cordas de uma harpa misteriosa que, a uns oferece mensagem de sons e, a outros, mensagem de cores.

A obra "Beija Brasil", oferecida ao Acervo Artístico do Palácio 9 de Julho e recentemente selecionada na Bienal Internacional de Roma, nos revela o mundo fantástico de Silvana Panella que, em função de seu cromatismo se constitui numa presença lírica e pictórica.

A Artista

Silvana Panella, pseudônimo artístico de Silvana Maria Panella, nasceu na cidade de São Paulo em 1956. Formou-se em Letras e Ciências Humanas pela Faculdade Ibero-Americana. Realizou curso de desenho e pintura com o professor Angel San Martin na Escola Paulista de Arte e Decoração.

Realizou várias exposições, dentre as quais se destacam: II Salão Brasileiro de Obras Premiadas; Sociedade Brasileira de Artes Visuais; Espaço Cultural Banco do Brasil; Salão Oficial de Belas Artes de Matão, SP (1994); Espaço Cultural Aquário; I e II Salão de Artes Plásticas de São Sebastião, SP (1994 e 1995); II Salão Nacional de Artes Plásticas (1996); Salão de Tênis Clube Paulista, SP (1998); Espaço Cultural Incor, Fundação Zerbini, SP; "Gemellagio Itália-Brasil", Castelo dos Príncipes Savelli, Palombara Sabia, Roma, Itália; IV Bienal de Arte Internacional de Roma, Itália; Galeria Giuliano Ottaviani, Roma, Itália (2002); V Bienal de Roma, Itália, IV Bienal de Firenze, Itália (2003). Recebeu diversos prêmios e menções honrosas.

Possui obras em diversas galerias, acervos particulares e oficiais e no Acervo Artístico da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.