Felipe Taborda revela amor à natureza em sua mensagem pictórica

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
18/02/2005 14:00

Felipe Taborda<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/Felipe Taborda.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Obra A cachoeira<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/Felipe Taborda A Cacheira.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Num mundo como o de hoje, frio e frenético, a temática pictórica do jovem pintor Felipe Taborda nos transporta à simplicidade da vida que todos nós almejamos. Assim ele pinta a realidade da vida do campo, representada pelas paisagens de nosso interior, de nossas florestas ou de nossos campos cercados por uma natureza verdejante.

Seus quadros revelam um ambiente aberto, possivelmente estático, e transmitem a sensação de eternidade quase irreal, mostra a utópica sensação íntima do jovem pintor em almejar que tudo permaneça como é.

A luz que deles emana nos propõe uma imagem envolvida de paz e de serenidade. Portanto, priva de angústia; assim como seus céus são totalmente livres de nuvens. A contraposição de claros-escuros apresenta um conjunto harmônico e sintético que testemunha a bravura do jovem pintor, iniciante nas artes que atesta claramente com futuro promissor.

A obra "A cachoeira", doada ao Acervo Artístico do Palácio 9 de Julho, é um ato de amor pela natureza, em direção a uma vida que se desenvolve vertical tem como testemunha a paz, um desejo de tranqüilidade e de pureza que constituem a temática preferida de Felipe Taborda.

O Artista

Felipe Taborda nasceu em São Paulo, em 1987. Atualmente reside em São Lourenço da Serra, onde estuda no Colégio Estadual e pinta paisagens de sua região. Desde os 11 anos dedica-se às artes plásticas. Estudou desenho e técnicas de pintura com a professora Shirley de Camargo Pereira.

Visita anualmente os Museus de São Paulo e do interior e freqüenta as principais mostras que aqui se realiza.

Embora com pouca idade já realizou exposições individuais nos Salões do Colégio Estadual Professora Marianinha de Queiroz, no Espaço Cultural Manacá e em outros espaços de São Lourenço da Serra.