Museu da Escultura ao Ar Livre - Romero Britto

Romero Britto: uma arte que precisa ser absorvida em termos próprios
01/11/2011 10:30

Romero Brito<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/11-2011/museuROMEROBRITTOfotoX.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Flower Pot<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/11-2011/museuromerobrittoOBRAw.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

"As pinturas de Romero Britto " já escrevia em 2006 Eileen Guggenheim " transpiram alegria. Britto retrata um mundo onde a felicidade e a serenidade imperam: há casais dançando, gatinhos sorrindo, peixes voadores saltando à tona, flores desabrochando e amantes se beijando. Para atingir emoções tão delicadas, Britto criou a sua própria linguagem pictórica. Com cores brilhantes, formas harmoniosas e desenhos agradáveis, sua arte precisa ser absorvida em termos próprios."

O tempo, com suas continuas transformações, levam Romero Britto a manter cada vez mais o seu estilo, a forma, as dimensões e as cores de suas obras. Inicialmente uma metamorfose lenta, mas progressiva, um sintetizar das linhas que leva a imagem ao essencial.

Vulcânico aprendeu a recolher das experiências que adquiriu nas suas múltiplas viagens pelo mundo a essência de seu tempo consolidando cada vez mais estilo e técnica.

A corajosa escolha de Romero Britto faz parte do estilo do artista, impregnado, sem dúvida, de sua origem publicitária. Através de uma metodologia nova do traço e do detalhe e enfrentando sensações imediatistas usa em suas criações estados de espírito da realidade quotidiana.

Nos confins entre pintura e gráfica, o artista confere as suas obras a tradução de sua inspiração com um cromatismo decisivo, com tons aparentemente contrastantes que se compõem organicamente.

Tanto em seus quadros quanto em suas esculturas a cor não é somente um fenômeno de luz, mas uma modalidade de volumes e de superfícies que se concluem numa luminosidade acentuando espaços e ritmos que resultam numa linguagem concreta.

Na obra "Flower Pot", doada ao Museu da Escultura ao Ar Livre, Romero Britto superou com habilidade as várias fases de sua criação e reuniu o melhor de suas experiências e das técnicas precedentes para repropor nas novas obras uma dialética de estilo em contínua ebulição.



O artista



Romero Britto nasceu em Recife, Pernambuco, em 1963. Aos 8 anos começou a mostrar interesse e talento pelas artes. Tornou-se conhecido através de uma campanha publicitária e aos 14 anos fez sua primeira exibição pública e vendeu seu primeiro quadro para a OEA - Organização dos Estados Americanos.

Estudou em escolas públicas e aos 17 anos, ingressou na Universidade Católica de Pernambuco para estudar Direito. Quando chegou aos EUA para trabalhar, tentou mostrar sua arte em galerias famosas. Com seu estilo pop de expressar cores vivas e traços fortes em suas telas chegou a ilustrar diversas campanhas publicitárias. Instalou seu atelier em Miami onde também fixou residência.

Sua obra vem sendo usada em embalagens, na moda e até em carros.

Britto produz pinturas a óleo explorando formas geométricas ou figuras de sua preferência, como corações ou animais, sempre com cores vivíssimas.

Suas obras encontram-se em diversas coleções particulares, entre outras, de celebridades como Arnold Schwarzenegger, Madonna, Bill Clinton, Carlos Menem, Ted Kennedy, Andre Agassi, Michael Jordan e Paloma Picasso, em diversos acervos oficiais e no Museu da Escultura ao Ar Livre de São Paulo.