O conteúdo humano de Cassiano Araújo se identifica com o pictórico a quem confia sua mensagem.

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
28/10/2004 14:00

Cassiano Araújo<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/cassiano.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Se é verdade que na base da arte está o instinto, é ainda mais verdadeiro que um artista sério deve saber dominá-lo e guiá-lo. Assim é Cassiano Araújo que amadureceu um estilo que reúne conteúdo humano, se identifica com o fato pictórico e a este último confia a sua mensagem.

O artista evidencia suas expressões com cores quentes e incisivas. Pintor de forte veia luminística, delineia num jogo refinado de sombras e de luzes, figuras humanas, paisagens e naturezas mortas repletas de uma robusta fragância cromática.

Seu discurso não para, mas continua provocando emoções sempre novas. A cor se transforma em veículo, através do qual traduz sentimentos e pensamentos com uma simplicidade instantânea que deixa fortes recordações.

Animado por uma viva inteligência e espírito crítico, Cassiano Araújo possui uma pintura forte bem registrada, onde não se encontram acentos superficiais, fraquezas ou negligências de execução. Suas composições são estruturadas com rigorosa disciplina, nada é deixado ao acaso, a menos que isto não o conduza a uma escolha feliz e imprevista.



Trata-se de um pintor que possui uma profunda e consumada técnica pictórica, que é arte. Sua pintura de "impasto" vigoroso e modelado, demonstra excelente perícia no desenho, fundamento e substância na arte de pintar.

Na obra "Na praça da Sé", doada ao Acervo Artístico da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, sua cor tende a criar uma atmosfera recolhida, severa, levemente melancólica. É uma pintura que espelha uma seriedade moral pouco comum.



O Artista

Artista plástico, produtor cultural e organizador de eventos artísticos, Cassiano Araújo nasceu em Garibaldi, Rio Grande do Sul, no ano de 1975. Viveu parte de sua infância em Caçapava do Sul e sua juventude em Porto Alegre onde concluiu o curso secundário. Em 1992 transferiu-se com a família para São Paulo.

Freqüentou a Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1996) e o curso de história da arte no Museu de Arte de São Paulo (1997 e 1998). Realizou um curso de pintura com o mestre chinês Wei Zhe, que foi diretor da Pinacoteca de Nanin, na China.

Embora não tenha participado pessoalmente de nenhuma exposição, suas obras encontram-se em diversas coleções particulares no Brasil e na América Latina, destacando entre estas dois painéis alegóricos na sede da Confederação Sulamericana de Futebol, em Assunção (Paraguiai) e na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.

Desde 1998 quando abriu a galeria que leva o seu nome, exerce atividades de produtor cultural tendo realizado nada menos que 35 eventos com destaque a Mostra Darcy Penteado de Arte, Mostra de Aquitetos e Decoração entre outros.

É autor de diversas capas de livros e revistas e coordenador da revista "Pintura em Tela" e dos catálogos da Mostra Darcy Penteado de Arte.