Judeus e palestinos residentes no Brasil: novas lideranças e a paz


18/12/2002 17:48

Compartilhar:


A intenção da ong "Shalom Salam Paz" é que os membros das duas comunidades incentivem a escolha de lideranças comprometidas com a paz nos processos eleitorais do Oriente Médio.

DA REDAÇÃO

Os sacrifícios de palestinos e israelenses impostos pelas repetidas violações dos direitos humanos e pelas práticas de punições coletivas desencadeadas pelo conflito no Oriente Médio vêm motivando ações afirmativas em prol da paz em todos os cantos do planeta. Em São Paulo, a organização não-governamental "Shalon Salam Paz" realizou evento na Assembléia Legislativa para sensibilizar judeus e palestinos residentes no Brasil a motivar seus povos a votar em candidatos que preguem a política de paz naquela região. O encontro aconteceu nesta terça-feira, 17/12, no Plenário José Bonifácio do Palácio 9 de Julho, e reuniu representantes de várias entidades. A intenção dos organizadores é que as duas comunidades se mobilizem para influir decididamente nos processos eleitorais que devem acontecer no início do próximo ano em Israel e, possivelmente, na Palestina.

A paz como objetivo

Michel Haradon disse que o objetivo do encontro foi reunir representantes de ongs :e de entidades para que sejam gravadas em vídeo mensagens em prol da paz: "depoimentos, poemas, canções ou qualquer forma de expressão que conclame os dois lados a lutar pela paz na região". Essas fitas devem ser enviadas às autoridades e às populações israelenses e palestinas. A iniciativa deve ter continuidade no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, onde se reunirão mais de 40 mil entidades.

Um dos organizadores, Max Altman, entende que essas atividades da "Shalom Slam Paz" têm a finalidade de mobilizar as pessoas. "As eleições abrem uma oportunidade histórica de mudança do quadro político da região. Assim como no Brasil houve uma aposta na esperança contra o medo, também em Israel e na Palestina a esperança pode motivar os povos a mudar essa situação prolongada de terror." Altman acredita que lideranças como Sharon e Arafat devem dar lugar a outras forças capazes de fincar na região a convicção de que a paz é o único caminho possível para ambos os lados.

A organização "Shalom Salam Paz" reúne pessoas das comunidades judaica, árabe e palestina no Brasil, comprometidas com os destinos dos povos no Oriente Médio. A organização defende o princípio de auto-determinação dos povos judeu e palestino, legitimado internacionalmente pela ONU desde 1947 e aceito pelas lideranças de ambos os povos em Oslo, no ano de 1993.

As posições assumidas pelo grupo são contrárias à ocupação ilegal e a expansão de assentamentos judeus nos territórios palestinos, ocupados em 1967; o preconceito e a discriminação contra minorias e a educação que fomenta o ódio; a destruição de lares, de árvores e a degradação do meio ambiente; e as prisões arbitrárias por Israel e pela autoridade palestina.