Museu de Arte do Parlamento de São Paulo - Esther Casanova


24/05/2011 08:02

Compartilhar:

Visão Paulistana I<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/05-2011/VISAOPAULISTANAI.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Esther Casanova<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/05-2011/estherARTISTA.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Esther Casanova: simbiose espaço " cor numa pintura evocadora e emotiva



Esther Casanova conseguiu alcançar uma simbiose espaço " cor que lhe consente elaborar uma pesquisa cromática de modo que suas telas alcancem um importante relevo evocador em espaços ilimitados e densos de luzes e sombras, em certos casos do encanto das fábulas, em outros, alucinantes.



Com seu empenho pictórico a artista testemunha que as artes podem continuar a se exprimir e viver com entusiasmo. Trata-se de um sentimento autêntico e sentido que comunica e comove. Assim sendo, quando uma obra fala com voz humana, quer dizer que a artista realiza a verdadeira arte.



As interessantes imagens paulistanas de Esther Casanova aparecem quase envolvidas por uma neblina sutil, que amalgama os edifícios incluídos numa fusão agradável entre os diversos planos.



Trata-se de uma pintura sentimental e emotiva, mantida sempre por um certo lirismo que todavia não exclui, mas procura resolver os problemas das relações cromáticas e dos volumes, com elegância e sensibilidade.



A obra "Visão Paulistana I", doada ao Museu de Arte do Parlamento de São Paulo, foi concebida com um certo gosto crepuscular e com uma veia de sutil melancolia.



A Artista



Esther Casanova, pseudônimo artístico de Esther Maria Cunha Casanova nasceu em São Paulo onde formou-se em matemática e pedagogia pela Universidade de São Paulo. Desde cedo interessou-se pelas artes plásticas tendo estudado aquarela com Alberto Kaplan (1992"1996), desenho criativo com Sergio Romainollo (1998), pintura com Marco Gianotti (1999-2005) e escultura com Ângela Bassan (2002).



Realizou cursos de história da arte com Ana Amélia e sobre expressionismo alemão no MAM de São Paulo (2001), história da arte brasileira com Nelson Serency (2003), história da fotografia no Brasil com Tadeu Chiarelli (2007), arte contemporânea com Aguinaldo Farias (2008), projetos com Nazareth Pacheco (2006), Guy Amado ,Juliana Monachesi e Rafael dos Campos Rocha do grupo Éden (2008-2009), Waldo Bravo (2010) e Andrés Hernandez (2011).



Participou de mostras coletivas no Museu Brasileiro de Escultura com curadoria de Marco Gianotti e Ricardo Resende (2002), Galeria 22, SP e Salão de Arte Bunkyo (2003), "Uma viagem de 450 anos" no SESC Pompéia e Memorial do Imigrante (2004), Salão de Arte Contemporânea Bunkyo, SP e Galerie Artitude, Paris, França (2005), Galeria da Hebraica, SP e Salão de Artes Visuais de Vinhedo (2006), Salão Contemporâneo de Marília, 41° Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba (2009), Salão de Arte Contemporânea São José do Rio Preto (2010), IX Território da Arte de Araraquara (2011).



Teve exposições individuais na Pinacoteca de Franca (2008), no Centro Cultural de Rio Claro (2009), no Centro Cultural de Vinhedo (2010) e Museu Otavio Vecchi (2011).



Conquistou a medalha de ouro do Salão Contemporâneo de Marília (2009) e menção honrosa no Salão de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto (2010).