Morre deputado Guilherme Gianetti


24/10/2005 15:19

Guilherme Gianetti <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/03-2008/GGianetti.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Faleceu no domingo, dia 23/10, às 15 horas, em São Paulo, vitimado por uma parada cardíaca o ex-deputado estadual José Guilherme Gianetti. Nascido na cidade de São Paulo, em 16 de março de 1961, era filho de Miguel Carmine Gianetti e de Eneida Simões Gianetti.

José Guilherme Gianetti era bacharel em Ciências Jurídicas e empresário. Ingressou na vida pública quando foi eleito, em 15 de novembro de 1988, para exercer mandato na Câmara dos Vereadores do Município de São Paulo, com 13.965 votos, pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), do qual foi um dos fundadores e presidente do seu Diretório Zonal de Guaianases.

Na 10ª legislatura (1989/1992) foi 1º vice-presidente da Câmara Municipal de São Paulo, na sessão legislativa de 1992. Integrou a Comissão Permanente de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, entre os anos de 1989 a 1992, tendo, no período de 01/01/1991 a 15/05/1991, em substituição ao vereador Bruno Feder, exercido a presidência da referida comissão.

No pleito de 3 de outubro de 1992, candidatou-se à reeleição, também pelo PMDB, obtendo 19.103 votos. Tomou posse em 1º de janeiro de 1993 na Câmara Municipal de São Paulo, tendo sido 1º Secretário da Mesa Diretora da edilidade paulistana no ano de 1994 e foi membro da Comissão de Finanças e Orçamento no ano de 1993. Exercia seu mandato, quando em 15 de março de 1995 renunciou à vereança, por ter sido eleito deputado estadual.

Nas eleições de 3 de outubro de 1994 obteve 34.765 votos, quando concorreu ao cargo de deputado estadual pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), na Coligação "São Paulo de Todos Nós", integrada pelo PMDB, PL e PSD.

Na 13ª Legislatura da Assembléia Legislativa de São Paulo (1995-1999), foi membro efetivo da Comissão de Finanças e Orçamento, e no biênio 1997/1999 foi substituto das Comissões de Assuntos Metropolitanos e de Economia e Planejamento. Foi vice-líder da bancada do PMDB na ALESP.

Em 4 de outubro de 1998, candidatou-se novamente ao Palácio 9 de Julho, também pelo PMDB, obtendo apenas uma suplência.

Guilherme Giannetti era casado com Vanderlí Alves Moreira Gianetti, com quem teve dois filhos: Ana Catarina e José Guilherme. O corpo do ex-deputado foi velado no Palácio Anchieta, sede da Câmara Municipal de São Paulo, e o enterro será realizado às 15:00 horas de hoje, no Cemitério do Lageado, em Guaianases, nesta Capital.

O deputado Guilherme Gianetti era autor da Lei nº 9.497, de 5 de março de 1997, aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, que instituiu o feriado estadual de 9 de julho, em homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932.