Deputado pede providências contra pichações nazistas na Sinagoga de Campinas


18/10/2004 16:06


O deputado Renato Simões (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, solicitou ao Ministério Público do Estado de São Paulo que acompanhe as investigações, por meio de um promotor especialmente designado, da autoria das pichações na sinagoga da Sociedade Israelita Beth Jacob, de Campinas. O parlamentar foi recebido no dia 14/10 pelo procurador geral de Justiça, Rodrigo César Rebello Pinho, e pelo promotor de justiça e assessor de direitos humanos do Ministério Público, Carlos Cardoso.

Ao receber a representação do deputado Renato Simões, o procurador geral considerou o fato muito grave e designou o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Campinas (Gaerco) para apurar o caso. "Não podemos deixar que este tipo de violência se instale no Brasil", afirmou Rodrigo Pinho.

Na madrugada de 11 de outubro, a Sinagoga da Sociedade Israelita Beth Jacob, de Campinas, foi alvo de pichações com dizeres anti-semitas e suásticas. A área atingida, a fachada da sinagoga, fica na parte interna do prédio, protegida por uma grade. Desconhecidos escreveram frases como "morte aos judeus" (em inglês) e pintaram a suástica que simboliza o nazismo, fatos que configuram crimes de intolerância, conforme a legislação.

No dia seguinte, a B´nai B´rith, entidade judaica de direitos humanos criada há 160 anos, e há 73 no Brasil, mobilizou a sua seção Campinas, presidida por Alexander Braum que, juntamente com o diretor nacional de Direitos Humanos, Alberto Liberman, tiraram fotos do local e fizeram um boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial de Campinas.

No dia 13 de outubro, a Câmara Municipal de Campinas, por solicitação de seu presidente, Carlos Signorelli (PT), aprovou uma moção de repúdio aos atos racistas e anti-semitas perpetrados contra Sinagoga e solicitou providências ao secretário de Segurança Pública, Saulo de Castro Abreu Filho.

Também, por intermédio da solicitação da deputada estadual Célia Leão (PSDB), o secretário de Segurança Pública pediu ao delegado seccional de Campinas e à delegacia especializada em crimes de intolerância, o máximo empenho na apuração dos fatos e para que se encontrem os responsáveis.