Formalizando o informal, a arte de Yvan Moscatelli anima composições arrebatadoras

Acervo Artístico - Emanuel von Lauenstein Massarani
06/10/2004 14:00

Obra Geometria<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/hist/yvan moscatelli Geometria.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

"Integrando uma corrente artística que insere a geometria estruturada em suas obras, Moscatelli personifica - como acentua o crítico Alberto Sartoris - uma ação ideal onde os sentimentos se exercem sob a influência de uma projeção inventiva do cotidiano".

Utilizando uma técnica e fórmulas que lhe são próprias, a arte de Moscatelli anima de maneira decisiva composições arrebatadoras, seja desenhadas, gravadas ou pintadas. Alimentado pela paixão, o artista aborda sua história plástica, com vivacidade, imparcialidade e objetividade.

Muitas vezes as concepções temáticas desse artista se abrem sobre horizontes tumultuosos. Do centro da crise intelectual da arte, suas experiências o conduziram progressivamente a um ponto onde se entrelaçam questões existenciais de nossos dias.

Evocando o informal, Yvan Moscatelli usa o pretexto para formalizar um determinismo pictórico impregnado de ímpetos conjugados, de encantos marcados de musicalidade, cuja orientação inscreve as disposições e as ordenanças plásticas nas esferas transparentes e rarefeitas dos espaços não impostos.

Na gravura intitulada "Geometria", obra doada por este critico de arte ao Acervo Artístico da Assembléia Legislativa, Yvan Moscatelli chegou a um estilo especificamente gestual e a uma estética muita vezes completada por inúmeras presenças abstratas.

O Artista

Yvan Moscatelli nasceu em Borgosesia, Itália, em 1944. Passou a residir na Suiça a partir de 1959, onde vive e trabalha em Colombier, no Cantão de Neuchâtel.

Em 1964, inicia-se como autodidata, em pintura e desenho, realizando em 1968, sua primeira exposição individual, após uma viagem a Espanha e Marrocos. Em 1969, troca a pintura figurativa pela pintura abstrata e, em 1971, faz longa viagem pelo sul da Itália e pela Sicília.

Durante os anos de 1975 e 1976 permanece nas Antilhas e nesse mesmo ano realiza suas primeiras tentativas no campo da gravura no Atelier Roger Arm. Em 1977, realiza uma fonte escultural para uma nova praça de Neuchâtel, após o que viaja pelo Brasil, Bolívia e Peru.

Além de várias cidades suiças, Moscatelli expôs em Paris (França), em Hagën (Alemanha), no Museu João Batista Conti, em Atibaia, no Museu de Arte de São Paulo, na Galeria Kuwalsky, em Lyon (França). É detentor de inúmeros prêmios na Bienal de La Chaux-de-Fonds e no III Concurso Nacional Italiano de Pintura Contemporânea e participou ainda de VÁRIOS salões de arte europeus.