O diálogo aberto de Claudionete Lira através de um figurativo estruturado

Museu de Arte do Parlamento de São Paulo
19/02/2008 16:43

O-pos-to<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/03-2008/massa-o-pos-to.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Claudionete Lira<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/03-2008/massa-Claudionete.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Claudionete Lira revela uma tendência para as composições e para os temas inspirados na paisagem da terra pernambucana, pesquisando diversas soluções estéticas e valendo-se de técnicas as mais diversas e heterogêneas.

Embora os temas que enfoca sejam múltiplos e imprevisíveis, em vista de sua capacidade de se adaptar aos mais inverossímeis argumentos, alcança resultados de interesse. É todavia a paisagem e a vida observada na sua mais genuína realidade que constituem as preferências da artista.

O seu diálogo é aberto, através de um figurativo bem estruturado, tanto no desenho quanto no cromatismo. Certas composições revivem sobre suas telas uma epopéia cromática sob o signo de uma cor corroída, densa, incisiva e pastosa.

Claudionete Lira sabe conter o ímpeto criativo dentro de uma atmosfera submissa que não poderia render mais e da melhor maneira o inexprimível.

Na obra O-pos-to, doada ao Museu de Arte do Parlamento de São Paulo, a artista sabe sufocar dentro de si o fascínio de sua emotividade, diluindo a realidade vista em função de um cromatismo que confere à obra uma intensa nota de pureza.



A artista



Claudionete Lira nasceu em Riacho da Almas, Estado de Pernambuco, em 1949. Desde os 10 anos de idade iniciou a desenhar em cartão e papel, pintando seus primeiros quadros também em cartão.

Para sobreviver, aos 15 anos foi trabalhar com fotografias, transferindo-se aos 18 anos para Recife onde passou a trabalhar na área da saúde. Paralelamente continuou a desenhar e pintar bem como seguir cursos ligados à arte.

A partir de 1990 se dedica exclusivamente à arte profissionalizando-se como artista plástica. Participou de inúmeras exposições coletivas e as seguintes individuais: "Geometrofolia Pernambucana", Aba Art , Recife, Pe; Classic-Hall, Recife, Pe; Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE; Folclore de Pernambuco, Unicordis, Recife, Pe (2003); "Espírito Olímpico", Espaço Cultural Banco do Brasil, Recife, PE (2004); Centro de artes, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE (2005).

Possui obras em diversas coleções particulares e no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo.