Seminário aborda papel do animal na melhoria do ser humano


24/06/2009 21:43

Compartilhar:

Feliciano Filho<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/06-2009/SEMINA_0023ZE.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Elisabeth Mariano <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/06-2009/SEMINAElisabethMariano005ZE.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A participação de animais em práticas terapêuticas com pessoas foi divulgada no seminário O papel dos animais na recuperação dos seres humanos, realizado na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 24/6. Promovido pelo deputado Feliciano Filho (PV) e pela ONG Espaço Mulher, e com a participação de psicólogos, militantes de ONGs e representantes do segmento de produtos para animais de estimação, o evento divulgou a terapia assistida por animais (TAA).

Depois de uma exposição da presidente da organização Espaço Mulher, Elisabeth Mariano, com dados sobre doença mental no Brasil, o Feliciano Filho apresentou um vídeo sobre resgate de animais e defendeu a adoção de políticas públicas eficientes para o controle de animais, como programas de castração de cães e gatos, de adoção de animais abandonados ou resgatados e a posse responsável, preventivas à grande proliferação de animais que os submete a sofrimento por atropelamentos e maus tratos. Feliciano Filho é o autor do Projeto de Lei 117/2008, origem da Lei Estadual 12.916, que determina ao Poder Executivo que incentive a viabilização de programa de controle reprodutivo de cães e gatos e à promoção de medidas protetivas.

Durante o seminário foram dados depoimentos de especialistas em terapias com animais, treinadores, resgatadores e militantes dos direitos dos animais.



Terapias Assistidas por Animais



A TAA é num método interventivo ou terapêutico em que se utiliza o animal (cão, gato, pássaros...) como objeto de terapia, orientada por profissionais de saúde como psicólogos. A terapia ocorre por meio de visitas a lares de idosos e outras instituições.

Procura-se com essa intervenção oferecer estímulos diversos ao paciente (tácteis, visuais, olfativos e auditivos); trabalhar a questão das regras e limites (para hiperativos, por exemplo); trabalhar questões de higiene pessoal; promover a autoestima e autoconfiança; trabalhar a motricidade fina e grossa; trabalhar questões relacionadas com motivação, concentração e atenção; e promover a socialização.