Advogado do São Paulo fala sobre acidente no Estádio Morumbi

No dia 11/5, grade do anel inferior cedeu e causou a queda de 16 torcedores no fosso
08/06/2016 19:40 | Da Redação: Fernando Caldas Fotos: Vera Massaro

Reunião da Comissão de Assuntos Desportivos da Assembleia Legislativa<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg190769.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>  Renato Santos, advogado do São Paulo Futebol Clube<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg190770.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>  Renato Santos e Wellington Moura<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg190771.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Integrantes da Comissão de Assuntos Desportivos da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Wellington Moura (PRB), ouviram nesta quarta-feira, 8/6, esclarecimentos de representantes do São Paulo Futebol Clube sobre incidente ocorrido no Estádio do Morumbi, no dia 11 de maio.

Durante a partida entre o São Paulo e Atlético Mineiro, válida pela Copa Libertadores da América, uma grade do anel inferior da arquibancada cedeu, causando a queda de torcedores no fosso, a uma altura de aproximadamente 2,5 metros. O advogado Renato Santos, representando o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, relatou que o acidente resultou da aglomeração de torcedores, no momento de comemoração de um gol, junto ao guarda-corpo, fixado entre o primeiro anel da arquibancada e o fosso do piso térreo.

Segundo Santos, 16 torcedores caíram no fosso e foram imediatamente socorridos por médicos, bombeiros e funcionários do clube e encaminhados ao ambulatório do estádio. Sete pessoas foram levadas a hospitais da região e três delas passaram por procedimentos cirúrgicos. "O São Paulo prestou todo tipo de assistência, desde o ambulatório até os hospitais. Atualmente, todos os hospitalizados receberam alta e estão em recuperação."

Superlotação descartada

Em resposta à deputada Célia Leão (PSDB), que questionou se havia no local do acidente número de pessoas maior do que o permitido, o advogado disse que essa possibilidade foi descartada por perícia que constatou que havia apenas 40 ingressos físicos para aquele local. Renato Santos acrescentou ainda que testes realizados recentemente por empresa de engenharia nos guarda-corpos tiveram resultados satisfatórios. Não há ainda, segundo Santos, laudo conclusivo que ateste a hipótese de ter ocorrido uma carga extra exercida por um número excessivo de pessoas em um local específico.

O deputado Hélio Nishimoto (PSDB) perguntou se o clube adotou alguma medida para evitar que incidentes como esse ocorram no futuro. O representante do São Paulo disse que duas providências já estão sendo tomadas: será fixada mais uma grade entre o primeiro anel e o guarda-corpo em toda a extensão do estádio e também serão designados funcionários do clube para prestar orientação aos torcedores nesses locais em dias de jogos e de shows.

O presidente da Comissão de Assuntos Desportivos sugeriu a formação de uma comitiva para realizar visita ao clube e averiguar as condições do estádio.