Assembleia Legislativa debate segurança pública e criminalidade


13/06/2016 19:38 | Da redação


Nesta sexta-feira, 17/6, a segurança pública e a criminalidade serão objeto de reflexão e discussão na Assembleia Legislativa. O seminário, que se estenderá pelo dia, congregará deputados, promotores, professores, especialistas, estudantes e representantes da sociedade civil.

No campo das ações comunitárias, por exemplo, será narrada a experiência do Jardim Ângela, que formava com Capão Redondo e Piraporinha o famigerado "Triângulo da Morte". O Movimento de Mulheres de Heliópolis e Região discorrerá sobre sua caminhada à luz de velas, levando o Poder Público a fazer da comunidade da Zona Sul a primeira da América Latina a receber luz de LED nas ruas.

Medellín, na Colômbia, uma das cidades mais perigosas do mundo há cerca de 20 anos, terá descrita a experiência bem-sucedida de seu "programa de segurança cidadã", que envolveu inclusão social e direito à vida.

Para encerrar o evento, está prevista mesa de debate com os palestrantes e os deputados convidados, integrantes da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários e da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, da Cidadania, da Participação e das Questões Sociais.

Programação

Após a abertura do seminário, às 9h, feita pelo presidente Fernando Capez, e a apresentação da Mesa Diretora da Alesp (além de Capez, Enio Tatto e Edmir Chedid, 1º e 2º secretários, respectivamente), palestram, entre outros, o promotor criminal José Carlos Blat; o coronel Luiz Eduardo de Arruda; uma das coordenadoras do Movimento de Mulheres de Heliópolis e Região, Mércia Maria das Dores; a socióloga Luana Dias Motta; o coronel José Vicente da Silva; e o jornalista Waldheim Garcia Montoya, que, nascido e criado em Medellín, participou da reestruturação modelar da cidade, acompanhando a implementação da polícia comunitária.

Fecha o evento a grande mesa de debate, reunindo deputados e palestrantes.