Audiência pública defende a dignidade dos servidores do Procon/SP


16/06/2016 15:34 | Da assessoria do deputado Carlos Giannazi

Giannazi (ao microfone) e representantes do Procon<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191477.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Funcionários da Fundação Procon-SP, vindos de diversas cidades do interior paulista e da capital, participaram na quarta-feira, 15/6, de audiência pública na Assembleia Legislativa, organizada pelo deputado Carlos Giannazi (PSOL), que contou com a colaboração da Associação dos Funcionários do Procon-SP.

O objetivo foi dar voz e apoio ao movimento de paralisação dos servidores, em greve há dez dias, cujos salários estão congelados há dois anos pelo governador Alckmin sem direito, sequer, à reposição da inflação no período. Os trabalhadores reclamam que não há, por parte da fundação ou da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo um canal aberto de negociação.

Além da luta contra o sucateamento do Procon/SP, a pauta de reivindicações contempla reposição salarial de 37%, implementação das progressões e promoções de 2014/2015, piso de 2,5 salários mínimos do Estado, reajuste do vale-refeição, do vale-alimentação e licença-maternidade de 180 dias, dentre outros pleitos. Até agora, a proposta do governo é de reajuste de 5,2%, a ser pago em agosto, mesmo o Procon gozando de plena autonomia financeira.

Giannazi disse que vai entrar em contato com o secretário Márcio Elias Rosa e o diretor da Fundação, Carlos Alberto Estracine, para que abram as negociações. O parlamentar vai também protocolar na Comissão de Direitos Humanos um pedido de convocação do diretor executivo para que explique a falta de diálogo com os servidores.

carlosgiannazi@uol.com.br