Assembleia sedia ciclo de debates sobre Câncer de Mama

Plano estadual de controle do câncer objetiva integrar 75 hospitais que atendem oncologia
20/06/2016 17:00 | Da redação Fotos: José Antonio Teixeira

Clarisia Ramos, Maria Del Pilar, Carlos Ruiz, Ricardo Caponero, Leci Brandão, Thiago Turbay, Fabiana Severo e Eufrides Galera<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191623.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Célia Ferracioli, prefeita de São José da Bela Vista<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191624.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Delegado Olim no evento<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191625.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>  Maria Del Pilar, coordenadora médica do Instituto do Câncer do Estado<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191646.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Leci Brandão preside o Ciclo de Debates sobre Câncer de Mama  <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191647.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Auditório Teotônio Vilela durante realização do Ciclo de Debates sobre Câncer de Mama<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191648.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Ricardo Caponero, Leci Brandão e Thiago Turbay<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191649.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Eufrides Galera fala durante o Ciclo de Debates sobre Câncer de Mama<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2016/fg191650.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A Assembleia Legislativa sediou nesta segunda-feira, 20/6, o Ciclo de Debates sobre Câncer de Mama para Parlamentares, uma iniciativa da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) e da União e Apoio no Combate ao Câncer de Mama (Unaccam). A deputada Leci Brandão (PCdoB), que presidiu o evento, declarou que o câncer não é uma doença para pobreza, pois atinge a todas as classes sociais e faixas etárias.

"As políticas públicas de saúde voltadas para atender a esta doença não parecem atender aos interesses da população, mas sim para zelar pelos interesses da indústria farmacêutica, dos grandes laboratórios e não das pessoas. Portanto, em vez de se falar em reduzir e acabar com o SUS, devemos ampliar e universalizar cada vez mais este sistema", finalizou Leci Brandão.

O deputado Delegado Olim (PP) colocou-se à disposição para ajudar as pessoas que estão passando pela doença e não têm dinheiro para o tratamento. "Quem tem dinheiro se trata nos melhores hospitais, mas a pessoa mais humilde depende de nós deputados, para que possamos ajudá-lo a realizar um exame, se tratar e se curar", disse. Também participou do evento o deputado Antonio Salim Curiati (PP).

Incidência de câncer

De acordo com Valentim Aparecido Biazotti, que representou David Uip, secretário estadual da Saúde, são esperados para 2016 cerca de 15.570 novos casos de câncer de mama no Estado de São Paulo. O plano estadual de controle do câncer envolve a Rede Hebe Camargo de Combate ao Câncer (Icesp) e tem como objetivo integrar os 75 hospitais do Estado de São Paulo que atendem oncologia e o Comitê Estadual de Referência em Oncologia, composto por 18 hospitais, que tem a função técnica de atuação e discussão na área de oncologia.

O programa de rastreamento é voltado a mulheres de 50 a 69 anos. "O Estado de São Paulo possui 440 mamógrafos. São 4,4 mamógrafos para atender a cada 240 mil mulheres, uma oferta acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e, apesar da oferta, ainda não atingimos o número esperado de cobertura para estas mamografias", declarou Valentim.

A oncologista e coordenadora médica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) Maria Del Pilar disse que esses 18 hospitais são responsáveis pelo atendimento de cerca de 50% dos casos de câncer do Estado de São Paulo. "Os recursos financeiros existem, porém, há uma desorganização desses recursos. O Estado, como um todo, precisa repensar a entrada do paciente no sistema de saúde. É fundamental a padronização de condutas, não é justo um doente ter que viajar 400 km para batalhar um tratamento", concluiu.

Temas relacionados, como tratamentos que deveriam estar expostos no SUS mas não estão, desafios para a incorporação de novas tecnologias pelo SUS, dentre outros, foram abordados e debatidos.

A mesa dos trabalhos foi composta também pela diretora de eventos da Unaccam Clarisia Ramos; pelo mastologista e diretor científico da Unaccam, Carlos Ruiz; pelo oncologista e membro do conselho técnico científico da Femama e da Unaccam Ricardo Caponero; pelo assessor de relações governamentais da Femama Thiago Turbay; e pela defensora pública federal Fabiana Severo. Participaram, também, vereadores e prefeitos de cidades paulistas, integrantes da Femama e voluntárias da Unaccam.