Entrevista com o deputado Pedro Kaká


19/06/2017 19:27 | Por Mateus Lima - Foto: José Antonio Teixeira

Compartilhar:

Pedro Kaká <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2017/fg203903.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Pedro Kaká <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2017/fg203905.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Ajudar na construção de uma sociedade melhor e abrir espaço para a juventude na política. É assim que o recém-chegado à Assembleia Legislativa, deputado Pedro Kaká (PODE), apresenta seus trabalhos nesta edição do Mandato em Pauta.

Os pais são imigrantes japoneses e deixaram o Japão para plantar no Brasil, na região do Paraná. A infância do deputado foi marcada pela atividade agrícola das lavouras e cafezais. A primeira aproximação com o meio político aconteceu já na faculdade enquanto estudava administração pública e direito.

Pedro Kaká passou boa parte de sua vida no setor privado. Algumas vezes tentou ingressar na Câmara dos Vereadores de São Paulo. "Em 1988, não assumi o cargo por cem votos", lembra. Em 2014, disputou uma vaga na Assembleia e ficou como primeiro suplente. "Passei a assumir esta cadeira depois que o outro deputado foi eleito prefeito de Itapevi", diz.

Apegado a valores familiares, Kaká assumiu a posição no Legislativo paulista em fevereiro de 2017. Ele defende que é dever de todos exercer um papel que seja útil na sociedade. Para ele, o exercício da cidadania não se limita a cobrar e discutir, "tem que participar também".

Questões sociais

Pedro Kaká diz que o seu compromisso é participar da criação de uma sociedade melhor. Ele afirma que irá "defender tudo que envolve família, já que é uma célula muito importante para a população". Para ele, é necessário um investimento maior na educação, além da criação de políticas públicas para garantia de emprego.

O deputado diz que há uma falta de controle das entidades que cuidam da segurança. "Vou trabalhar para fiscalizar o Executivo a executar de forma inteligente e socialmente correta para alcançarmos uma sociedade melhor".

Kaká critica as ações de vandalismo em quaisquer entidades e locais. O deputado acredita que um dos fatores para melhorar as condições de vida da sociedade é a "aplicação mais eficiente dos recursos públicos".

Preocupação com o consumidor

Com o objetivo de tornar mais justa a cobrança das pizzas com mais de um sabor, o deputado quer obrigar os estabelecimentos comerciais a cobrarem o valor médio. Atualmente o consumidor paga pelo custo do mais caro. "Tenho apreço pela matemática e quero evitar um prejuízo ao consumidor", declara. Segundo dados da Associação Pizzarias Unidas do Estado de São Paulo (Apuesp), o Brasil consome diariamente 1 milhão de pizzas, dentre elas 570 mil apenas em São Paulo.

Outra proposta do parlamentar quer incluir o dia do Cosplay no calendário oficial do Estado, em 2 de julho. "A proposta pretende divulgar a importância da arte para a cultura e turismo, e o valor agregado e prestígio ao Estado, palco dos maiores eventos e competições de Cosplay da América Latina, incrementando ainda mais a atratividade, turismo e cultura", explica.

Atuação política

Sobre a possibilidade de concorrer à reeleição em 2018, o deputado Pedro Kaká acredita que será "uma consequência de um bom mandato". Para isso, sua missão no parlamento é tentar fazer o melhor que pode.

Ele diz que ainda precisa "aprender bastante sobre o processo Legislativo", ao explicar a dificuldade e atuação necessária para aprovação de um projeto de lei. Segundo ele, é dever do parlamentar convencer os pares de que aquele projeto é bom pra sociedade paulista.

Kaká defende que a criação de leis não é a única atribuição dos deputados. Para ele, é função do parlamentar também é "fiscalizar, para que existam condições para se ter uma sociedade justa".

O deputado atualmente é membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a cartelização da citricultura no Estado de São Paulo. Segundo ele, a CPI "discute algo que destrói a sociedade" e busca, por meio das reuniões, formas para impedir e prevenir o progresso do que está sendo investigado pela comissão.

Kaká explica que houve uma diminuição dos trabalhadores rurais neste segmento. "Parte dos 22 mil agricultores desempregados entregaram suas terras para indústria da cana, uma atividade que tira trabalhos das pessoas", diz.

O parlamentar também é membro efetivo da Comissão de Atividades Econômicas, da Comissão de Fiscalização e Controle e da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor.

Juventude

Pedro Kaká deseja maior participação dos jovens na disputa de cargos políticos. "A participação da juventude trará vigor e ideais para as instâncias políticas. Não é preciso chegar aos 60 anos para assumir uma vaga", declara.

De acordo com o deputado em todos os setores há a necessidade de sucessão. "Uma simbiose do velho com o novo pode dar aos jovens a oportunidade de mostrar seu potencial", destaca.