Frente Parlamentar apoia reivindicação por moradia


04/07/2017 18:44 | Da assessoria da deputada Marcia Lia

Marcia Lia (centro) durante manifestação<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2017/fg204867.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Diversos movimentos de moradia de todas as regiões de São Paulo lotaram a Praça da Sé na quarta-feira (28/6) reivindicando o cumprimento de promessas feitas pelo governo do estado. Segundo Graça Xavier, coordenadora da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM-SP),

que chamou o ato, o governador Geraldo Alckmin prometeu 10 mil moradias que deveriam ser construídas em regime de mutirão: "Em agosto de 2013 ele reiterou o compromisso de construir essas unidades em regime de autogestão na Marcha de Moradia, mas a promessa nunca saiu do verbal", denuncia. A deputada Marcia Lia, coordenadora da Frente Parlamentar pela Habitação e Reforma Urbana, esteve no ato. Márcia disse que em um estado com o déficit de um milhão e meio de moradias, o assunto deve "ser tratado com mais empenho". E completou: "É preciso fazer o exercício de se colocar no lugar de uma família que não tem onde morar. Se a gente fizer isso por um minuto, já será o suficiente para querer mudar essa realidade".

Segundo a UMM-SP, o governador assinou o decreto 59.549/2013 criando o Conselho Estadual das Cidades (Concidades/SP), parte importante na reorganização da política habitacional de São Paulo. A coordenadora da frente explica: "O papel de uma deputada como eu e de todos os meus parceiros da frente é cobrar os direitos conquistados pelos movimentos populares".