Maio vermelho aborda tabagismo e câncer de bexiga


09/05/2018 19:17 | Da redação - Foto : José Antonio Texeira

Vaz Juliano <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-05-2018/fg222803.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Vaz Juliano <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-05-2018/fg222664.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Vaz Juliano <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-05-2018/fg222667.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

O mal causado pelo tabagismo e o desenvolvimento do câncer de bexiga foram temas de palestra realizada no Auditório Teotônio Vilela na terça-feira (8/5). Segundo o urologista Roberto Vaz Juliano, coordenador e idealizador da campanha e membro do Instituto de Urologia do Hospital Alemão Oswaldo, o assunto não é de conhecimento da população. "O tabagismo normalmente não é associado ao câncer de bexiga, mas é o responsável por 70% dos casos", declarou.

Segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo (SBU/SP), o problema afeta cerca de 2,4% da população com mais de 40 anos no país, sendo que em 60% dos casos atinge indivíduos entre 65 e 85 anos.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), entre 2018 e 2019 serão cerca de 9.480 novos casos da doença, sendo 6.690 em homens e 2.790 em mulheres. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de bexiga ocupa a sexta posição na região sudeste do país.

De acordo com Juliano, os fumantes passivos também podem desenvolver a doença. "Faltam informações para a população. Além do cigarro, o consumo de corantes em produtos também pode ser considerado como outro malefício", disse. Segundo ele, urina com coloração avermelhada pode ser um dos primeiros sintomas da doença.

O evento foi proposto pelo deputado Fernando Capez (PSDB). Em alusão à campanha, o Palácio 9 de Julho estará iluminado em vermelho neste mês.