Benefícios à saúde da mulher


16/05/2018 11:17 | Da assessoria do deputado Doutor Ulysses

Doutor Ulysses <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-05-2018/fg223268.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A Alesp aprovou, na quarta-feira (9/5), o Projeto de Lei 50/2018, de autoria do deputado Doutor Ulysses, que dispõe sobre a inclusão de um capítulo especial sobre as principais doenças que se manifestam de forma diferente em mulheres e homens na disciplina de clínica médica, em todas as escolas públicas de medicina do Estado de São Paulo. Como justificativa, o deputado argumentou que existe uma grande preocupação por parte das entidades apoiadoras desse projeto, como a Associação Paulista de Medicina (APM), o Instituto Saúde Sustentabilidade, o Conselho de Pastores do Estado de São Paulo (Copesp), o Departamento de Cardiologia da Mulher, o Instituto da Criança do Hospital das Clínicas e principalmente da Associação Brasileira de Mulheres Médicas, uma vez que muitas mortes de mulheres poderiam ser evitadas com o conhecimento mais profundo do assunto. Sabe-se que a doença que mais mata, inclusive jovens, a doença cardiovascular, é a que mais acomete mulheres e que causa morte de uma a cada três. O infarto do miocárdio apresenta-se na mulher com sintoma atípicos, diferentes dos homens.

Esse estudo ainda visa a elucidar outras doenças, como o acidente vascular cerebral (AVC) ou derrame - uma causa de morte muito comum no nosso país, principalmente entre as mulheres -, e a osteoporose. Um terço das mulheres com 65 anos ou mais terão osteoporose, com fraturas frequentes e graves nos ossos.