Alesp é iluminada de vermelho em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença Falciforme

Celebrado em 19 de junho, a Assembleia Legislativa incentiva a campanha a pedido de parlamentar.
15/06/2022 17:30 | Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença Falciforme | Matias Patrone / Foto: Arquivo Pessoal

Compartilhar:

Alesp é iluminada de vermelho em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença Falciforme<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2022/fg288559.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Alesp é iluminada de vermelho em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença Falciforme<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-06-2022/fg288560.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A Assembleia Legislativa de São Paulo se ilumina de vermelho para o Dia Mundial da Conscientização sobre a Doença Falciforme, que acontece em 19 de junho.

A iluminação na Alesp foi um pedido da deputada Leci Brandão (PCdoB) junto com a Associação Pró-Falcêmicos (APROFe), como forma de impulsionar a campanha de alerta sobre a questão.

A Doença Falciforme é um distúrbio hereditário que se caracteriza por alterações na estrutura dos glóbulos vermelhos presentes no sangue. As células sanguíneas se modificam para um formato de lua, ou algo semelhante a um semicírculo, ficando mais frágeis e fáceis de romper.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, o Brasil tem entre 50 e 100 mil pessoas afetadas pela doença e que têm a qualidade de vida reduzida. Os portadores das células sanguíneas em formatos de foices ? origem do nome Falciforme ? tendem a viver em média até os 32 anos, 40 anos a menos das pessoas que não sofrem da doença. A condição é mais comum em indivíduos negros e, muitas vezes, não demonstra sinais aparentes.

A Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) em consonância com APROFe desenvolveram a campanha #EuSinto, criada com o objetivo de espalhar o conhecimento e alertar a população sobre os perigos da Doença Falciforme.

"Queremos chamar a atenção da sociedade para a causa e tornar a saúde dos pacientes com doença falciforme uma prioridade do governo para melhorar, controlar e implementar e políticas públicas, sistemas de cobertura e disponibilização de cuidados e tratamentos", disse Sheila Ventura, coordenadora da APROFe.