Candidatura própria ao governo do Estado ganha força no PSB

Em encontro de Arraes com deputados e militantes, aliança com PSDB paulista é descartada
18/09/2001 15:45


DA REDAÇÃO

O lançamento de candidatura própria ao governo do Estado e o repúdio a uma possível aliança com o PSDB ganharam força após a reunião da bancada estadual paulista do Partido Socialista Brasileiro, líderes e militantes com o presidente nacional do PSB, Miguel Arraes, nesta terça-feira, 18/9, na Assembléia Legislativa. A deputada federal por São Paulo Luíza Erundina foi apontada como possível candidata do partido ao Palácio dos Bandeirantes, em 2002.

"A militância deseja a candidatura própria e o PSB tem propostas, experiência administrativa e líderes para atender esse anseio", avaliou o deputado Cesar Callegari, líder da bancada do PSB na Assembléia Legislativa. "E o primeiro nome que surge é o de Erundina", completou.

Arraes assumiu uma posição descentralizadora. "Somos favoráveis à candidatura própria em nível estadual onde os companheiros do Estado decidirem que isso é possível", afirmou. O importante, para ele, é que o candidato assuma os compromissos programáticos do partido.

As alianças em torno de um candidato de outra sigla não estão completamente descartadas. "Mas não tenho o temor de que o partido apóie o PSDB; não há a menor possibilidade", garantiu Arraes. O apoio em âmbito estadual à social-democracia, ventilado por alguns setores do partido, também foi descartado por Callegari. "Nossa aliança só se dará com partidos que estão no mesmo campo que nós, o que aponta, nesse caso, para o candidato do PT", afirmou.

A candidatura própria, condicionada ao programa do partido, também foi defendida pelos deputados Salvador Khuriyeh e Alberto Calvo, durante o encontro. "E Erundina tem a cara do PSB", avaliou Pedro Mori.

A posição do PSB - cuja bancada no Parlamento paulista é formada por sete deputados - já começa a se desenhar com a eleição, em 21 de outubro próximo, do novo diretório estadual.