Falta de segurança é tema de discurso no plenário da Assembléia Legislativa

Única atitude visível do atual secretário de Segurança Pública é fazer marketing, propaganda enganosa, disse Hamilton
04/09/2001 19:16


DA ASSESSORIA

O 1.º secretário da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa, deputado Hamilton Pereira (PT), denunciou nesta terça-feira, 4/9, em plenário, "a total falta de política estadual para a segurança pública a partir da constatação de que atos violentos contra os cidadãos e o patrimônio vêm crescendo de forma assustadora. Apesar disso, a única atitude visível do atual secretário de Segurança Pública é fazer marketing, propaganda enganosa, como sua aparição e declarações durante o seqüestro sofrido pelo apresentador Silvio Santos, passando a falsa imagem de que o Estado estaria capacitado a lidar com casos desse tipo. E o que se vê é exatamente o contrário", afirmou Hamilton Pereira.

Para embasar suas críticas, o deputado recordou suas visitas, no primeiro semestre deste ano, a oito distritos policiais localizados em Sorocaba, quando constatou a situação de abandono e descaso por parte das autoridades do Estado. "Nos DPs de primeira classe deveriam existir, no mínimo, 27 funcionários; e nos de segunda classe, 19 integrantes. O que encontrei foram, no máximo, seis funcionários por distrito e em alguns casos nem ao menos delegado existia", disse.

O deputado também verificou que as viaturas ficam paradas por falta de peças de reposição ou de verba para combustível. "Chegou-se ao cúmulo de os cidadãos assaltados, ao se dirigirem às delegacias, emprestarem seus próprios veículos para que os policiais possam tentar localizar os criminosos".

Todos os problemas encontrados nesses distritos foram incluídos em um relatório detalhado e encaminhados à Secretaria de Segurança Pública. "Até agora nada foi feito. Isso porque o secretário não funciona. Talvez ele seja bom promotor, mas, como secretário de Segurança Pública, contribui para piorar a já péssima situação da segurança pública", comentou Hamilton Pereira, que ratificou não se tratar de perseguição pessoal, "já que desta tribuna fiz inúmeros elogios ao secretário de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, pela correção e prontidão de suas medidas à maioria das mazelas do sistema penitenciário."